Motores

André Cabeças vai apostar nas provas de asfalto do Campeonato

André Cabeças vai apostar na fase de asfalto do Campeonato de Portugal de Ralis.

O piloto de Lisboa adquiriu um Citroën DS3 R5, depois de vários anos a competir em vários campeonatos regionais (e a vencê-los) aos comandos de Mitsubishi.

Agora a realidade é outra e André Cabeças sabe que tem um grande desafio pela frente. Assim vai procurando adaptar-se à sua nova ‘montada’, um carro completamente diferente, de outra geração, que vai procurar conhecer aos poucos.

“Não tem nada a ver com o que guiava anteriormente. É um carro com um enorme potencial mas que tenho de ir conhecendo. Para isso preciso fazer quilómetros”, disse-nos o piloto lisboeta, que se deslocou ao evento especial que a Kumho Tyres organizou em Pombal para celebrar a sua segunda temporada de competição – 2º Desafio Kumho – no nosso país.

As diferenças entre os Mitsubishi que guiou é enorme, como faz questão de reconhecer: “É de outra geração. O Lancer guiava-se de outra forma. O Citroën é menos pesado e quase com um kart. Uma outra geração. As diferenças são enormes, pelo que vai exigir uma fase de adaptação”, admite.

Foto: Ricardo Cachadinha

André Cabeças deixa os ‘regionais’ para se concentrar no Campeonato de Portugal. Uma aposta que vai passar sobretudo pela fase de asfalto: “O DNA do DS3 é o asfalto, foi desenvolvido mais para esse tipo de terreno, que é também aquele onde me sinto mais à vontade. Por isso é na fase de asfalto que vou apostar”.

“É óbvio que quero evoluir na terra, mas para isso tenho muito a aprender. Assim nesse tipo de piso vou alinhar em algumas outras provas, antes de começar a fase de asfalto do Campeonato, em que vou competir”, explicou-nos o piloto da capital.

Para André Cabeças será também importante ir ‘conhecendo os cantos ao carro’: “É fundamental fazer quilómetros, ir conhecendo o carro, quer na forma de o confuzir quer em termos de afinações. É um processo que virá com o tempo”.

430Shares

Em destaque

Subir