Motociclismo

Miguel Oliveira “no geral contente com o trabalho” feito em Sepang

Miguel Oliveira mostrou-se satisfeito com o trabalho realizado em Sepang nos primeiros testes de pré-temporada de MotoGP.

O piloto português da KTM Tech3 terminou os ensaios na pista malaia rodando abaixo de 1m58s no terceiro dia, a cerca de quatro segundos do mais rápido, e ficando a somente 1,710s da marca que deu a ‘pole’ no Grande Prémio da Malásia do ano passado.

Foram notórios os progressos que Miguel Oliveira evidenciou em cima da KTM RC16 # 88, sobretudo atendendo ao facto de ter tido de recuperar de uma intervenção cirúrgica no final do ano passado. O piloto de Almada acabou a rodar pertinho do top dez.

Nestes três dias de ensaios a preocupação de Miguel Oliveira foi habituar-se cada vez mais à moto e às novidades que a KTM está a introduzir este ano. No final da primeira jornada de trabalhos já se mostrava agradado: “Começamos muito bem, melhoramos a afinação da suspensão e os amortecedores traseiros. Forcei um pouco na fase matinal, por isso senti-me um pouco desconfortável com o ombro”.

“Por isso fiz algumas paragens longas entre as saídas para a pista. À parte disso conseguimos dar um bom passo em frente com os neus susados. A média por volta foi muito interessante. E fiquei contente por irmos na direção certa”, referiu também o piloto português.

No segundo dia o trabalho foi intenso: “Fizemos muitos testes com o motor, e consegui uma boa sensação antes da pausa para almoço. Perdemos algum tempo, mas nessa altura não era importante fazer um bom tempo por volta. Terminamos o dia com boas sensações em relação a fazer uma mudança do lado da eletrónica. Fiquei contente porque o andamento foi forte com pneus usados”.

Para a última jornada em Sepang Miguel Oliveira e a sua equipa concentraram-se mais no ‘set-up’ da KTM # 88: “Conseguimos uma boa volta com um jogo normal de pneus, o que foi surpreendente. Quando coloquei um pneu mais macio atrás não consegui melhorar, mas no geral fiquei muito contente com o nosso trabalho durante estes três dias”.

“Nas próximas duas semanas ainda temos trabalho a fazer fisicamente, aumentando a massa muscular e tentando remover ao máximo as dores no ombro, de modo a ter um bom primeiro fim de semana de corrida no Qatar”, acrescentou o piloto português otimista quando ao começo da época.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir