Europa

Vídeo: Camionista quase atropela migrantes… de propósito

Camionista húngaro filmou o susto provocado a um grupo de migrantes, em Calais, na região norte de França. Veja as imagens que o próprio Levente Jeddi publicou no YouTube, num vídeo que gerou repulsa e apoio nas redes sociais.

Clima de tensão entre migrantes e camionistas levou a uma medida drástica, que poderia ter provocado vítimas.

Um camionista fez um vídeo de 14 minutos, onde mostra a sua atitude agressiva para com os migrantes e fala em Calais como “zona de guerra”.

Alguns refugiados parecem retaliar e atirar objetos em direção aos camiões. Este mau ambiente não será caso único: o autor do vídeo tem outros registos onde mostra pilhagens feitas pelos refugiados.

Levente Jeddi protesta com eles, goza-os, e tenta assustá-los com o pesado, que dirige de forma brusca na direção dos jovens que caminham junto à berma.

Aos cinco minutos deste vídeo, poderá ver o momento em que o camionista quase atinge os migrantes.

As imagens foram parar às redes sociais, gerando uma onda de repúdio de uns e de apoio de outros, pela atitude do camionista.

O condutor separa dois grupos de migrantes: os que fazem pilhagens e os que precisam de ajuda, recebendo comida, cigarros e apoio dos próprios camionistas.

No final do vídeo (registo que terá vendido a algumas cadeias televisivas), Jeddi vira a câmara para si e volta a gozar com os migrantes, com ironia.

“Uma viagem e tanto… Os migrantes têm conseguido desviar-me a minha trajetória… Eu nem consegui chegar ao meu destino, aqui o parque de estacionamento”, diz.

A Hungria tem as fronteiras fechadas e é um dos países que se declaram contra o acolhimento de refugiados.

Veja o vídeo, que conta mais de 2,7 milhões de visualizações e muitas reações de apoio à sua atitude. Entretanto, no YouTube, foram feitas outras cópias do mesmo registo.

E as redes sociais foram palco de uma ampla discussão, com pró-refugiados a defendê-los e a população que não os tolera a usar o que de pior há nestas imagens (os arremessos de pedras) para os criticar.

11Shares

Mais partilhadas da semana

Subir