Economia

PS incapaz de prometer baixar o preço da eletricidade

No próximo ano há eleições, mas o PS não vai poder prometer baixar o preço da eletricidade, devido a uma combinação de vários fatores.

Com 2019 a chegar, os partidos afinam já as estratégias de propaganda. O Bloco de Esquerda já assumiu que vai lutar, dentro da Geringonça, pela descida do preço da eletricidade.

Só que o PS, atualmente no Governo, não tem condições para avançar com essa promessa eleitoral.

Há vários fatores que, isolados, são apenas um sinal de alarme. Porém, se combinados, formam uma “tempestade perfeita”, como descreveu um analista do setor, num artigo para a agência económica Bloomberg.

Os preços do petróleo (só em 2013 estava mais barato) e do gás natural (as reservas europeias estão abaixo dos 20 por cento) continuam num aumento imparável, enquanto se assiste a uma queda acentuada na eletricidade produzida pela via nuclear (quer por opção política, quer pelo número de centrais nucleares paradas para manutenção).

Por outro lado, o PS também não poderá recorrer aos impostos para baixar o preço da eletricidade.

Apesar do BE exigir a reposição do IVA de seis por cento, o Governo vai manter a eletricidade taxada a 23 por cento.

Espanha já tinha tentado uma ‘descida fiscal’ do preço, mas recuou face às centenas de milhões de euros que ia deixar de receber de IVA e ‘empurrou’ as culpas para a Comissão Europeia.

O presidente do PS já tinha deixado bem claro, na recente entrevista à RTp3, que o Governo não iria descer o IVA.

“Não vejo que essa via possa ser facilmente alcançada”, afirmou Carlos César.

O dirigente socialista deixou em aberto a hipótese de “atuar na área das renováveis”, para que “a fatura da energia elétrica seja menos penalizada”… depois do PS ter recusado, no ano passado, taxar o sobrecusto das renováveis proposta pelo BE.

Estes vários fatores, isolados, não seriam impeditivos à descida do preço da eletricidade. O problema (para os consumidores) é que a combinação de fatores torna impossível prometer, em ano de eleições, uma eletricidade mais barata.

Mais partilhadas da semana

Subir