Desporto

Bruno Costa Carvalho anuncia candidatura à presidência do Benfica

Bruno Costa Carvalho anunciou nesta terça-feira uma nova candidatura à presidência do Benfica, numa carta dirigida aos sócios e adeptos, onde aponta as razões dessa decisão, criticando o caminho trilhado por Luís Filipe Vieira, falando em “diversas trapalhadas em que o Benfica esteve metido”.

Num texto onde alude ao momento de confinamento em que vivemos, Costa Carvalho não esquece a OPA e fala em “propaganda sem fim face ao um milagre financeiro inexistente”.

“Vi uma OPA sem explicação, vi problemas com um assessor de administração, vi negócios de que não gostei, vi um sem número de problemas que gostaria que estivessem bem longe do meu clube. Vi, sobretudo, um clube que não percebe que está a ponto de ser relegado, de forma definitiva, para uma segunda divisão europeia, sem qualquer capacidade de reação, parecendo os dirigentes mais interessados em cifrões do que na grandeza desportiva do clube que lideram. Vi a propaganda sem fim face ao um milagre financeiro inexistente, mas propalado vezes sem fim por uma comunicação social acrítica e mal preparada para entender o que está mesmo diante dos seus olhos”, enquadra.

Nesse sentido, prossegue, “a única coisa lúcida a fazer é avançar para uma candidatura à presidência do Sport Lisboa e Benfica”.

“Ao contrário do que muitos julgam, será a segunda vez que me candidato, depois de em 2009 ter tido um resultado toldado por um processo judicial que viria a ganhar a destempo (isto é Portugal) e por em resultado do voto eletrónico que está muito distante de me garantir que tenha sido o resultado verdadeiro. Falaremos disso em tempo oportuno”, assinala.

Bruno Costa Carvalho lembra que tem sido um defensor do Benfica: “Tenho feito tudo o que posso pelo meu clube. Intervindo em AG e dando conselhos ao presidente e à sua Direção por aqui e presencialmente. Tenho 18 anos de sócio, mas como pude ser candidato em 2009, o meu direito a ser candidato a presidente do Benfica é inalienável. Até porque o próprio presidente também já foi eleito com base em estatutos anteriores e não nos atuais como todos sabemos. A mesma lógica aplica-se a ambos. Espero que isto não seja sequer um tema na campanha”.

Classifica como “dois elementos essenciais” nesta sua candidatura um programa de governação para o Benfica, bem como uma revisão dos estatutos.

“É uma candidatura recheada de grande benfiquismo, sem oportunistas nem gente com passados dúbios. Tenho uma equipa notável que pode fazer um grande trabalho no Benfica”, sustenta.

“Queremos um Benfica grande e forte a todos os níveis, mas sobretudo no futebol que é a mola real de um clube com a grandeza do nosso. (…) Encabeço um grupo de benfiquistas que quer um Benfica sólido e que tem um projeto de verdadeira afirmação europeia que não anda ao sabor de conjunturas e de opiniões alheias. Sabemos reconhecer o que de bem foi feito nos últimos anos, mas também sabemos que temos que dar um salto qualitativo que o atual presidente não foi capaz de realizar, bem como temos que reforçar a transparência e a vivência clubística. Não se iludam. esta é uma candidatura para ganhar, sólida, afirmativa, que não é contra ninguém, mas a favor do clube que amamos. Há um rumo. Há um futuro desenhado. Há um projeto. Há uma candidatura”, conclui.

Além de Bruno Costa Carvalho, apresentar-se-ão nas urnas o atual presidente, Luís Filipe Vieira, e o ex-vice-presidente Rui Gomes da Silva.

0Shares

Em destaque

Subir