Mundo

“Bolsonaro boicotou-nos e é corresponsável por muitas mortes”, diz prefeito de Manaus

Arthur Virgílio Neto, prefeito de Manaus, não perdoa a gestão que o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, tem feito da pandemia de covid-19, que resultou no colapso dos serviços hospitalar e funerário na região.

As principais vítimas da “barbárie”, como classificou o autarca, têm sido as populações indígenas, o que tem valido acusações de genocídio contra Jair Bolsonaro.

O prefeito de Manus não tem dúvidas: o Presidente do Brasil é “corresponsável” nas mortes por covid-19.

“O Presidente Bolsonaro porta-se com pouca responsabilidade. Nós não teríamos tantas mortes se ele tivesse remado a nosso favor, mas eu conheço o estilo dele, ele vai colocar a culpa da brutal recessão que a pandemia vai gerar nos prefeitos e governadores, dizendo que não abriram a economia, como ele pediu, enfim, vai fazer aquele populismo barato de extrema-direita, de quem acredita em tortura”, criticou Arthur Virgílio Neto, em entrevista ao Diário de Notícias.

Bolsonaro “boicotou-nos o tempo inteiro e é corresponsável por muitas mortes”, reforçou o autarca.

“Vejo-o com responsabilidade pelo sofrimento que vimos passando, um sofrimento maior do que aqueles países dirigidos por políticos competentes, como Portugal”, insistiu Arthur Virgílio Neto.

“Ele é uma pessoa inconveniente para governar o Brasil”, concluiu.

0Shares

Em destaque

Subir