Desporto

Vídeo: “Não quero que o Porto Canal seja a RTP Memória”, diz Manuel Serrão

Ideias fortes do adepto portista, no programa Prolongamento, da TVI24. Manuel Serrão defende que seja Pinto da Costa a “provocar a mudança”, não acredita que o FC Porto ganhe se o presidente não o fizer e lamenta que o clube só tenha a celebrar os 30 anos de Viena. “Não quero que o Porto Canal seja a RTP Memória”, diz.

Durante o Prolongamento desta segunda-feira, Manuel Serrão considerou que o FC Porto tem de encerrar um ciclo, que pode passar pela saída de Pinto da Costa.

O comentador portista teme que o presidente (e a glória que marca o seu percurso) seja um problema, porque ninguém quererá avançar para a presidência enquanto Pinto da Costa estiver no cargo.

“Quem é o principal opositor deste Pinto da Costa quatro anos a perder? É o Pinto da Costa 30 anos a ganhar. Ninguém concorre contra ele. Nós temos um respeito enorme pelo que ele fez. Nós só vamos ter solução quando o presidente Pinto da Costa deixar de ter saúde. E eu não gostava disso”, salienta.

“Acabou o ciclo. Acabou o ciclo. Não há nada a fazer. Não acredito que o Porto ganhe alguma coisa se o presidente não perceber que tem de ser ele a provocar a mudança”.

Triste com forma como o dossier da contratação de treinador tem sido conduzido, Serrão denota dificuldades da SAD em convencer um técnico a abraçar o projeto. E numa alusão à nega de Marco Silva, que preferiu o Watford, lembra os tempos em que os treinadores faziam fila para treinar no dragão.

“Watford?” Quem é o Watford?”

“Passei a semana toda a ser gozado pelos adversários e a ser inquirido pelos adeptos do Porto, que queriam saber quem é o treinador”, lamenta.

Manuel Serrão lembra-se dos tempos em que os benfiquistas celebravam vitórias no ciclismo e no futsal, enquanto os dragões erguiam troféus na Europa. Essa realidade mudou.

 “O que é que nós comemoramos? O bilhar? Os 30 anos de Viena? Eu não quero que o Porto Canal seja a RTP Memória. Eu quero ver receções na rua e festas na câmara, o que o Benfica anda a fazer”.

Enquanto assistia a imagens dos festejos do título europeu conquistado em Gelsenkirchen, Manuel Serrão recorreu ao humor: “Metade destes gajos já morreu”

Veja o vídeo:


Mais partilhadas da semana

Subir