Animais

Vídeo: Amizade entre menina autista e a sua gata fez milagres

meninaDepois de um diagnóstico pessimista, Iris Grace, uma menina britânica autista, viu as portas fechadas. A mãe, Arabella Carter-Johnson, revela que os médicos apontavam “incapacidade total em relacionar-se”. Mas Iris, de 6 anos de idade, encontrou na sua gata uma amiga e um caminho para o milagre. Não se trata da cura, mas de avanços notáveis. Veja o vídeo.

A história de Iris Grace, um criança de Leicestershire, em Inglaterra, é inspiradora. E abre horizontes para famílias que enfrentam o drama do autismo. Esta criança britânica recebeu dos médicos um diagnóstico nada animador, mas a proximidade com a sua gata reescreveu a sua história de vida. Amigas inseparáveis, Iris e a sua gata mostram as ilimitadas fronteiras que se abrem quando todas as portas parecem fechadas.

Iris tem autismo e os médicos deixaram pouca margem de esperança. “Disseram que, provavelmente, ela nunca conseguisse falaar ou relacionar-se com ninguém”, conta Arabella Carter-Johnson.

Durante metade da sua vida, a menina fechou-se no seu mundo, numa espiral que preocupava os pais. Até que surge Thula, a gata que se juntou à família.

Thula está sempre presente, tem uma forte ligação com a menina e estimula a sua criatividade.

“Encorajámos a pintura como prática durante a terapia da fala, de forma a estimular a atenção e a capacidade para alternar do diálogo. Depois percebemos que ela realmente tem talento e manifesta uma incrível concentração, por períodos de duas horas, enquanto está a pintar. O autismo fez com desenvolvesse um estilo de pintura que nunca vi numa criança com a idade dela”, revela a mãe.

Há um antes e um depois, nesta curta vida. “Desde que Thula passou a fazer parte da família, Iris passou a comunicar connosco, a revelar o que pretendia. Ela falava com a gata, dava-lhe ordens, falava com o animal”, conta a mãe.

A própria Arabella passou a olhar o autismo com outros olhos. Se outrora era uma drama, hoje é um desafio.

“O autismo é desafiador. Sinto que, se estimularmos a criança, trabalhar com as coisas que mais lhe suscitam interesse, veremos mudanças, teremos progressos”, realça.

Veja o vídeo, que se tornou numa bandeira para as associações que se dedicam ao autismo.

Mais partilhadas da semana

Subir