Justiça

Passos Coelho lança violento ataque a Marcelo e Costa

Pedro Passos Coelho, que ‘tinha posto’ Joana Marques Vidal como procuradora-geral da República (PGR), arrasou Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa por não reconduzirem a magistrada.

Num artigo de opinião publicado há instantes no Observador, Passos Coelho, que enquanto primeiro-ministro tinha sugerido ao Presidente o nome de Joana Marques Vidal para PGR, escondeu as violentas críticas a Marcelo e a Costa atrás de rasgados elogios à magistrada.

“Não houve, infelizmente, a decência de assumir com transparência os motivos que conduziram à sua substituição”, escreveu o ex-governante.

Passos Coelho acusou Marcelo e Costa de preferirem “a falácia da defesa de um mandato único e longo para justificar a decisão”, reiterando que “a Constituição não contém tal preceito”.

“Sobra claro que a vontade de a substituir resulta de outros motivos que ficaram escondidos”, insinuou o social-democrata.

Joana Marques Vidal sai “sem que ninguém de boa fé possa lançar a suspeição de que tenha feito por agradar a quem pode para poder ser reconduzida”, referiu ainda o ex-primeiro-ministro.

“No termo deste seu mandato, são sem dúvida mais os que acreditam que se pode fazer a diferença e marcar um reduto de integridade e independência, onde as influências partidárias ou as movimentações discretas de pessoas privilegiadas na sociedade esbarram e não logram sucesso”, insinuou ainda Passos Coelho, antes de prosseguir o texto com rasgados elogios a Joana Marques Vidal.

Mais partilhadas da semana

Subir