Fórmula 1

Max Verstappen nunca pretendeu ofender a Renault

As críticas que Max Verstappen fez à Renault durante a temporada de Fórmula 1 de 2018 não tiveram, segundo o próprio, qualquer intenção de ofender o construtor francês.

O facto da Red Bull Racing ter trocado os motores da marca do losango pelos da Honda foi um culminar de um processo de progressivo afastamento da equipa de Milton-Keynes da Renault. O piloto holandês foi sempre um dos que mais se queixou da performance dos propulsores gauleses.

Durante a época várias vezes Verstappen se queixou pela rádio do desempenho dos motores Renault, chegando mesmo a considerar que a equipa só iria ganhar com a troca para os blocos da Honda. Para alguns isso foi ir longe de mais relativamente a um construtor que lhe proporcionou as suas primeiras vitórias na F1 e até foi visto como um sinal de ingratidão.

Em declarações ao canal holandês de televisão Ziggo Sport o piloto veio esclarecer que nunca quis ‘deitar abaixo’ a Renault: “Nunca foi essa a minha intenção, mas quero fazer melhor. Agora temos um acordo com a Honda, mas se tivesse continuado com a Renault queria que fizéssemos progressos. Sou muito claro no que disse”.

“Podem levar-me a mal, mas eu não sou assim. Posso fazer sempre melhor e quero sempre o mesmo empenho da parte dos outros. Contudo tem de se estar sempre aberto a críticas, que é da forma que se cresce. Tenho pena que não tenham sabido lidar com isso, mas não estou aqui para ter uma atitude olímpica. Quero ganhar e quero que todos estejam empenhados”, acrescentou Max Verstappen.

O problema de motor na Hungria terá sido um dos motivos das reações do piloto holandês, tal como as dificuldades sentidas em Singapura, sendo que na Rússia Verstappen dirigiu críticas pessoais a Cyril Abiteboul, o homem-forte da Renault para a Fórmula 1.

No cômputo da temporada Max Verstappen conseguiu cinco pódios consecutivos e desafiou regularmente o Campeão do Mundo Lewis Hamilton. O que fez aumentar a pressão para que a Red Bull mudasse para a Honda. Uma relação de longa duração que o piloto holandês saúda, embora não haja garantias de que o construtor japonês possa fazer melhor do que a Renault.

Mais partilhadas da semana

Subir