Mundo

Mãe acorda do coma ao receber filho nos braços

Uma mulher estava em coma induzido, após sofrer complicações de saúde durante a gravidez. Depois de lhe serem retirados os medicamentos, e após ter dado à luz com recurso a cesariana, a mulher brasileira continuava sem dar sinais de restabelecimento, até que, 23 dias depois, lhe colocaram o bebé nos braços e, aí, acordou.

“A primeira coisa que lembro ao acordar foi o cheiro do meu filho”, conta Amanda da Silva, em declarações à imprensa brasileira, ela que sofre de epilepsia crónica desde os 7 anos de idade.

A mulher assume que teve a sensação “mais maravilhosa” da sua vida.

“A primeira imagem que tive foi de sua cabecinha. Ele era exatamente como eu imaginava”, relata a mulher, de 28 anos.

Às 37 semanas de gestação, a mulher sofreu complicações de saúde e foi submetida a uma cesariana para que lhe fosse retirada a criança, depois de uma discussão com o marido que lhe provocou uma “convulsão”.

Amanda foi colocada em coma induzido e assim esteve durante várias semanas.

Mesmo depois de lhe ser parada a administração de medicamentos, a brasileira continuava sem despertar do coma.

“Uma semana depois, quando tiramos os remédios, ela abriu os olhos, mas ‘não estava lá’. Ela recebeu todos os estímulos, dentro da conduta médica, mas não respondeu a nada e estava apática”, conta Fabíola de Sá, enfermeira da Maternidade-Escola Assis Chateubriand, em Fortaleza, no Brasil.

Só quando lhe colocaram o bebé nos braços é que a mulher acordou.

“Foi antes do contacto com a pele.  Já sobre o peito dela, coloquei os braços dela envolta nele e então ela começou a produzir leite”, relata a enfermeira Fabíola de Sá, destacando que, embora a unidade de cuidados intensivos não seja um local apropriado para a presença de um bebé que não tenha problemas de saúde, um infecciologista analisou o local e “deu aval” à presença da criança.

Amanda da Silva confessa o que lhe vai na alma.

“Acordei e não saía a voz. Quando o meu pai falou que eu já estava há quase um mês lá não acreditei. Foi muito difícil”.

Além do bebé que nasceu agora e que esteve na origem desta história, Amanda é mãe de outras duas crianças – Victoria Cristina de 4 anos e Christopher Brian, de 1 ano e nove meses.

 

Mais partilhadas da semana

Subir