Nas Notícias

“Lorenzo” provoca 53 ocorrências e cinco desalojados

Angra do Heroísmo, Açores, 02 out 2019 – O furacão “Lorenzo” provocou até às 06:30 locais (07:30 em Lisboa) 53 ocorrências nos Açores, tendo sido necessário realojar duas famílias, nas ilhas das Flores e de São Jorge.

“Temos neste momento 53 ocorrências, das quais temos já resolvidas 38 e 15 ainda estão em desenvolvimento, ainda estão a tentar corrigir essas anomalias”, adiantou o presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, Carlos Neves, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo (ilha Terceira).

Até ao momento, só foram registados “danos materiais”, mas foi preciso realojar duas famílias, que “foram socorridas de forma muito rápida”, segundo o responsável da Proteção Civil.

“Registaram-se duas situações de desalojados, duas [pessoas] em São Jorge e três nas Flores. As pessoas já se encontram realojadas e a situação foi resolvida”, avançou.

De acordo com Carlos Neves, registaram-se “três ocorrências na ilha Terceira, sete em São Jorge, sete no Pico, 20 no Faial, 14 nas Flores e duas no Corvo”, sendo a maioria “relativa a queda de árvores, obstrução de estradas, danos em moradias e postes de abastecimento de eletricidade e telefónicos que caíram”.

O furacão “Lorenzo” provocou ainda “alguns cortes de energia na zona de Santa Cruz das Flores”, bem como problemas “nas redes de telemóvel e de comunicações”, que deverão ser corrigidas “ao longo dos dias”.

Foram encerradas 61 estradas em todas as ilhas, com exceção do Corvo e de Santa Maria.

Segundo a Proteção Civil açoriana, o mar poderá ter levado parte do molhe e um edifício de apoio do Porto das Lajes das Flores, mas a situação ainda está a ser verificada.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) dos Açores declarou hoje que o período crítico do furacão “Lorenzo” decorrerá até às 09:00 da região (10:00 em Lisboa), afetando maioritariamente a ilha das Flores e do Corvo.

“O centro do furacão já passou” a oeste da ilha das Flores, e encontra-se a caminho de norte/noroeste, “com tendência a afastar-se” progressivamente da ilha do grupo ocidental, declarou a meteorologista Vanda Costa à agência Lusa, falando pouco depois das 05:30.

Para as ilhas das Flores e do Corvo (grupo Ocidental), prevê-se vento sueste rodando para noroeste com rajadas na ordem dos 190 km/hora (com uma probabilidade de 40 por cento de a rajada máxima ser superior a 200 km/h), chuva por vezes forte e ondas de sul passando a sudoeste, com altura significativa entre 10 e 15 metros. A altura máxima de onda pode atingir os 25 metros.

Já para o grupo Central (Pico, São Jorge, Faial, Graciosa e Terceira) é esperado vento sudoeste com rajadas até 160 km/h, períodos de chuva e ondas de sudoeste passando a oeste com altura significativa entre nove e 12 metros, podendo a altura máxima de onda atingir os 22 metros.

Nas ilhas do grupo Oriental – São Miguel e Santa Maria – deverá haver vento sul rodando para oeste com rajadas até 100 km/h, períodos de chuva e ondas de sudoeste com altura significativa entre sete e nove metros.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir