Nas Notícias

Jornalista da TVI diz que precisava de “um jornal inteiro” para falar das finanças do FC Porto

O tema finanças do FC Porto não foi abordado no último comentário de Miguel Sousa Tavares, na TVI, mas o comentador acabou por dar uma ‘pincelada’ sobre essa situação, acabando por motivar um comentário do jornalista Pedro Pinto.

“Eu acho que precisávamos de um jornal inteiro”, disse o jornalista sobre o tempo necessário para abordar a situação dos cofres azuis e brancos.

Antes, Miguel Sousa Tavares deixou reparos ao facto de Pinto da Costa ter oficializado a candidatura à presidência do clube numa altura em que a situação das finanças portistas é “dramática”.

“Ainda hoje li que o presidente da SAD se recandidata exatamente porque levou o clube à insolvência. Portanto, recandidata-se por causa disso mesmo. Mas pronto. É outro tema para outro dia”, descreveu.

Ao comentar o tema das verbas das transmissões, Sousa Tavares aproveitou ainda para criticar a posição da Altice, parceira publicitária dos azuis e brancos e de outros emblemas da I Liga.

“Não consigo ver nenhuma razão jurídica, ética ou comercial na posição da Altice. Não consigo ver”, disse o comentador, que explicou que a empresa “não paga uma mesada” aos clubes mas, sim, compra “um número de jogos” por temporada.

“Se os clubes apresentam o mesmo número de jogos não sei porque não paga”, referiu, dizendo que mesmo que fosse ao mês, os meses de março e abril passam para “junho e julho”.

Na TVI, Miguel Sousa Tavares, confesso adepto do FC Porto, avisou que esta posição da Altice pode “estrangular financeiramente os clubes”.

“Embora a Altice não seja responsável pela situação dramática a que chegou o meu clube também poderia levar isso em consideração.”

0Shares

Em destaque

Subir