Motores

João Ramos “sem nada a perder” na Baja de Aragon

João Ramos, acompanhado por Victor Jesus, vão marcar presença na 36ª Baja de Aragon, prova espanhola da Taça do Mundo de Todo-o-Terreno.

A dupla da equipa Salvador Caetano Motorsport enfrenta um evento que é tradicionalmente complicado, que propõe um total de 900 quilómetros, 500 dos quais ao cronómetro.

Pela frente João Ramos e o seu navegador de sempre terão de cumprir a passagem por duas especiais, uma com 86 quilómetros e outra com 165, repetindo-se ambas as passagens no dia de sábado.

Mas o evento não é uma novidade para a dupla portuguesa da Toyota Hilux, como faz questão de salientar o piloto recentemente condecorado pelo município de Gaia: “É  uma prova de referência e da qual gosto particularmente. Mistura no percurso zonas técnicas com zonas muito rápidas, em que é preciso estar totalmente focado para não cometer erros, e com uma extensão tão longa, o maior desafio é mesmo mental, pois a concentração é levada ao limite”.

“Já mostramos que conseguimos ser competitivos nesta baja e é com esse espírito que a vamos abordar. Com a experiência do passado e os resultados que fomos demonstrando, o objetivo passa por rodar próximo dos principais concorrentes, e no primeiro dia tentar perceber onde nos posicionamos”, refere também João Ramos.

O piloto de Vila Nova de Gaia lembra as razões porque tem de adotar uma toada ofensiva na prova espanhola: “Não temos nada a perder, e como tal queremos lutar pelas posições cimeiras, sabendo que temos carro com fiabilidade e evolução técnica que o possa permitir. Não há pressão de ganhar, mas quem me conhece sabe que nunca corro para perder”:

“Fico particularmente agradado com o número de portugueses que se inscreveram, isto é uma prova cabal que correr em Espanha não é assim tão difícil, pois mesmo em termos económicos, ir a Aragón, não é assim tão distante quando comparamos por exemplo com a deslocação até Loulé no nacional, e há vantagens em termos promocionais no retorno que é possível dar aos nossos parceiros”, salienta João Ramos, referenciando a participação de outros compatriotas nesta Baja.

O piloto gaiense acrescenta que esta deslocação a Espanha de outros concorrentes nacionais também se explica com o que sucedeu recentemente no Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno: “Depois de termos sido confrontados com a anulação da última prova, com tantos portugueses a virem até Aragón, podemos pensar um pouco mais fora da caixa quanto ao futuro das competições nacionais e creio que estamos já no bom caminho nesse sentido”.

5Shares

Mais partilhadas da semana

Subir