Motores

FPAK ao lado de Montalegre face à exclusão do ‘Mundial’ de Ralicross

A Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK) reagiu à exclusão de Montalegre do calendário do Campeonato do Mundo de Ralicross (World RX) de 2019.

Para além de se mostrar surpreendida, a entidade federativa demonstra a sua total solidariedade com os organizadores e a autarquia transmontana num comunicado ond salienta “todo o esforço e dedicação desenvolvidos”.

Audi S1 EKS RX quattro #5 (EKS Audi Sport), Mattias Ekström

No documento a FPAK, “não só manifesta a sua solidariedade com estas entidades, e o seu empenho no sentido de esclarecer as razões pelas quais a prova foi excluída, bem como a sua disponibilidade para com elas continuar a desenvolver parcerias, em prol da dinamização do desporto automóvel e da economia”.

Ni Amorim, presidente da entidade federativa nacional refere mesmo: “Estamos solidários com a indignação do Presidente da Câmara, Dr. Orlando Alves, pois têm sido feitos esforços para dar resposta às exigências da FIA e do promotor, e estava previsto, no orçamento da Câmara, verba para novas infraestruturas. Esta decisão deixa o Município fragilizado pelo que apoiaremos as decisões que vierem a ser tomadas. Vamos ainda trabalhar no sentido de mitigar os prejuízos, trazendo, logo que possível, outro evento internacional”.

A Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting está atenta ao que se passou nos bastidores do Campeonato do Mundo de Ralicross e salienta o facto da prova portuguesa ter sido substituído por uma nova no Médio Oriente, levando-a a acreditar que a mudança “esteja relacionada com mais valias financeiras”.

2Shares

Em destaque

Subir