Nas Notícias

“É verdade que Temido tinha razão quando fez Costa perder a cabeça: o norte confinou muito menos do que a zona de Lisboa”

Numa altura em que são várias as críticas a Marta Temido e Graça Freitas pela forma como tem sido gerida a fase de desconfinamento em contexto de pandemia, o comentador José Miguel Júdice admite que António Costa tem de tomar medidas para controlar a situação na região de Lisboa.

“Foi óbvio que esse sucesso era uma história mal contada”, admite Júdice, recordando a forma como Portugal chegou a ser visto pela maneira como soube lidar com a pandemia.

Para dar ‘corpo’ à crítica que faz, o comentador lembra que houve até um tempo em que Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, desaconselhava o uso das máscaras. E agora aconselha a que se usem.

Sobre as razões para que Portugal tenha chegado a este ponto, no qual a região de Lisboa tem sido a mais fustigada pelo número de infetados, Júdice tem uma ideia muito clara.

“É verdade que Marta Temido tinha razão quando há dias fez António Costa perder a cabeça: o norte confinou muito menos do que a zona de Lisboa”, assinala Júdice.

Em artigo de opinião no Expresso, o comentador assinala que a reação do primeiro-ministro na reunião da semana passada, no Infarmed, ocorreu pois Costa “sabe que o ministério da Saúde falhou e criou um problema terrível a Portugal.”

Júdice sustenta ainda que na última reunião no Infarmed, onde são explicadas as ideias de combate à covid-19 aos mais altos representantes da nação, as perguntas do Presidente da República e de outros políticos “não obtinham respostas, mas apenas conversa e teorias”.

Aqui chegados, o comentador está certo de que “apesar da falta de transparência na política portuguesa e em especial em tudo o que se refere às estratégias de luta contra a pandemia” lhe parece óbvio que esta é “mais uma história de fracassos do que sucessos nas políticas de saúde públicas de luta contra a pandemia”.

Acreditando que Portugal “confinou ‘à bruta’ (aparentemente) com base na necessidade de evitar o caos de Itália e Espanha”, Júdice realça a necessidade de António Costa criar uma equipa com especialistas em várias áreas para devolver o dito ‘novo normal’ ao país.

Nas últimas semanas, a Área Metropolitana de Lisboa tem registado um número maior de infetados pelo novo coronavírus, levando as autoridades de saúde e o governo a tomarem medidas restritivas para essa zona do país.

Recentemente, Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, criticou a forma como as chefias têm lidado com a pandemia na região e pediu medidas ao governo.

No dia em que grande parte do país passa para uma nova fase do plano de desconfinamento, a zona de Lisboa permanece em contingência com 19 freguesias em estado de calamidade e com ordens de recolhimento.

0Shares

Em destaque

Subir