Justiça

“Como é possível levar o Paulo Gonçalves a julgamento e não levar a SAD?”, pergunta Ana Gomes

A eurodeputada Ana Gomes voltou a fazer a defesa de Rui Pinto, o alegado hacker dos emails, e diz não compreender, por exemplo, como é que no processo E-Toupeira o antigo assessor jurídico, Paulo Gonçalves, seja levado a julgamento e a SAD do Benfica não.

“Ouvi dizer que, eventualmente, o processo E-Toupeira resulte de informação do Football Leaks, não necessariamente da informação trazida a público pelo Rui Pinto. O E-Toupeira é um daqueles casos que põem toda a gente intrigada”, começou por dizer.

“Como é possível levar o assessor jurídico e um funcionário conivente com ele a julgamento e não levar a entidade para quem trabalhava o dito assessor jurídico, que era a SAD do Benfica? Isto tem de ser visto à luz da apreciação que os tribunais façam”, acrescentou, em declarações à SIC Notícias.

Ana Gomes explicou também que em face do Football Leaks, o estado espanhol está a colher dividendos financeiros e não compreende que o mesmo aconteça em Portugal.

“Em Portugal o que aconteceu? Estranho, não é? Não tenho notícia de que tenha acontecido alguma coisa…”

No caso de Rui Pinto, que continua detido em prisão domiciliária, na Hungria, Ana Gomes explicou ainda que em causa está “apurar a ilicitude de determinadas práticas e, depois, o interesse público da informação divulgada”.

Mais partilhadas da semana

Subir