Mundo

Brasil é o terceiro país com mais casos de sarampo no mundo

O Brasil é o terceiro país com maior números de casos de sarampo no mundo, segundo o Fundo Internacional de Emergência para a Infância das Nações Unidas (Unicef), que aponta a redução da vacinação e imigração de venezuelanos entre as causas.

“Dez países, incluindo o Brasil, a Venezuela, as Filipinas e o Iémen são responsáveis por 74 por cento do total do aumento de casos da doença. No mundo, 98 países relataram um crescimento na incidência de sarampo em 2018 em comparação com 2017. A situação afetou o progresso no combate à doença altamente evitável”, lê-se num comunicado divulgado pela Unicef.

A agência das Nações Unidas para a infância também relatou que o Brasil teve 10.262 casos de sarampo confirmados no ano passado, número que significa o dobro em relação a 2017.

O último registo de sarampo no Brasil tinha ocorrido em 2015, mas a imigração em massa de venezuelanos no país trouxe de volta a doença.

“Em 2015, no Brasil, nós tínhamos muito boas coberturas vacinais, inclusive para sarampo, que chegava a 96 por cento. São dados oficiais do Governo brasileiro, do Programa Nacional de Imunização”, frisou Cristina Albuquerque, chefe de Saúde e HIV da Unicef no Brasil.

“Ao longo dos últimos anos, depois de 2015, essa cobertura foi baixando, até que em 2017, fechamos o ano com uma cobertura de apenas 85,2 por cento no território brasileiro, isso dado nacional.”, acrescentou a especialista.

Já o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde do Brasil em 24 de janeiro confirmou o registo de 10.302 casos de sarampo no país.

Há registo de surtos de sarampo nos estados do Amazonas e Roraima que foram causados pela reintrodução da doença no Brasil com a imigração em massa de refugiados e imigrantes venezuelanos.

Outros nove estados do país também confirmaram casos da doença. O estado do Pará confirmou 62 casos, no Rio Grande do Sul foram 46 casos, no Rio de Janeiro 19 casos, em Pernambuco e Sergipe quatro casos, três casos em São Paulo e Bahia, dois em Rondônia e um caso no Distrito Federal.

O gGoverno brasileiro também informou que já foram confirmadas 12 mortes por sarampo.

Em Roraima, foram confirmados quatro mortes, todos em menores de cinco anos, sendo dois brasileiros e dois venezuelanos.

No Amazonas, foram confirmados seis óbitos por sarampo, sendo três residentes em Manaus, dois em Autazes, e um em Manacapuru.

Já no Pará, foram confirmados dois óbitos ocorridos no município de Belém, em venezuelanos indígenas, menores de um ano de idade.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir