Desporto

Benfica já entregou ação contra Jesus no tribunal do Barreiro

O Benfica já apresentou uma queixa contra o técnico Jorge Jesus, no Tribunal do Barreiro, exigindo uma indemnização de 14 milhões. Segundo a revista Sábado, a ação judicial “tem quase 100 páginas” e assenta em alegados contactos do treinador com um funcionário do Sporting, além de transferência de software (supostamente confidencial) da Luz para Alvalade.

De acordo com a edição de hoje da revista Sábado, que teve acesso a informação sobre esta ação judicial, terão sido feitos “telefonemas do treinador para um funcionário do Sporting”.

Por outro lado, o departamento jurídico do Benfica terá sustentado o processo em alegadas transferências de software, com dados confidenciais relativos a jogadores que estavam na mira das águias.

“O clube avança com nove testemunhas e exige 14 milhões de indemnização, quase o dobro dos 7,5 milhões previstos na cláusula de rescisão prevista no contrato”, escreve a Sábado.

O Benfica também vai alegar que durante a vigência do seu contrato, Jorge Jesus estabeleceu contactos e visitas de trabalho ao serviço do Sporting – razão pela qual, aliás, não pagou o último vencimento ao técnico.

Em causa está uma visita à Academia de Alcochete, a 12 dias do término da ligação com os encarnados.

Acresce ainda outro facto: o acordo entre o Sporting e Jorge Jesus foi tornado público ainda antes de terminar a ligação com o Benfica.

Esta ação entregue no Tribunal de Trabalho do Barreiro surge em vésperas de um dérbi Benfica-Sporting e numa altura em que Bruno de Carvalho levantou suspeitas sobre entrega de presentes dos encarnados a árbitros de futebol, alegadamente fora das regras determinadas pelos regulamentos.

O diferendo entre Benfica e Jesus esteve em ‘banho-maria’ desde o início da temporada, altura em que se falou de uma queixa do clube contra o técnico, com um pedido de sete milhões de indemnização.

Também Jorge Jesus ameaçou com o tribunal, exigindo o pagamento do último mês de trabalho.

Com o passar do tempo, pensou-se que as duas ações teriam sido apenas ameaças, mas do lado do Benfica não há recuos.

Afinal, aqueles sete milhões duplicam, no pedido de indemnização, e a queixa não se restringe à forma como Jorge Jesus saiu do Benfica. Encerra alegadas práticas de espionagem que os bicampeões nacionais querem dirimir em tribunal.

Mais partilhadas da semana

Subir