Nas Notícias

Associação da PSP mostra agente agredido por detido e pede comentário ao ministro

Os direitos e deveres dos cidadãos e dos agentes da autoridades têm estado no topo da atualidade, em consequência da polémica divulgação de imagens da detenção dos fugitivos do Tribunal do Porto. O ministro da Administração Interna condenou a prática da PSP e agora uma associação sindical mostra um dos seus agentes deitado numa cama de hospital após ser agredido por um detido.

Depois de Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, ter condenado a divulgação de imagens da detenção feita pela PSP aos fugitivos do Tribunal do Porto, Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, veio a público apelar ao tratamento com “dignidade” dos detidos.

As declarações têm gerado uma onda de indignação entre a sociedade civil mas também entre as fileiras da autoridade.

O Sindicato Unificado da Polícia de Segurança Pública mostra a sua indignação ao partilhar uma imagem de um polícia deitado numa cama de hospital com o nariz partido e questiona o ministro Eduardo Cabrita.

“Para os defensores dos direitos, liberdades e garantias, isto é apenas o risco da profissão”, começa por salientar o sindicato afeto à polícia que vai mais longe e arrasa Eduardo Cabrita.

“Sabem qual o único dado inalienável da constituição? Espera-se uma reação do senhor Ministro, já sabemos que ser polícia é ser cidadão de terceira.”

O polícia ferido foi, alegadamente, agredido por um detido, que é suspeito do roubo de bicicletas na capital.

O imigrante ilegal, que já teria ordens para deixar o país, foi apanhado pelas autoridades numa rua das Olarias, em Lisboa, onde tinha escondidas várias bicicletas.

Detido, o homem acabou por, alegadamente, agredir a murro o polícia.

Veja a imagem partilhada pela associação sindical.

Mais partilhadas da semana

Subir