EUA

Advogado de Trump teve acesso ao relatório Mueller

O Procurador-geral norte-americano, William Barr, disse hoje em Washington que o advogado de Donald Trump teve acesso prévio ao “Relatório Mueller”, e que o Presidente se escusou a invocar privilégio executivo relativamente ao documento.

Barr, que falava na Casa Branca à imprensa, garantiu que o advogado de Trump não fez cópia do documento e acrescentou que o procurador-especial Robert Mueller incluiu no documento 10 casos relacionando Donald Trump e obstrução da justiça.

O “Relatório Muller” põe fim a 22 meses de investigações acerca da suposta interferência de Moscovo nas eleições presidenciais norte-americanas.

A investigação de Robert Muller começou em maio de 2017 e implicou processos contra 34 pessoas, incluindo seis ex-assessores de Trump: Paul Manafort, Rick Gates, George Papadopoulos, Michael Cohen, Michael Flyn e Roger Stone, além de 26 cidadãos russos.

Mais partilhadas da semana

Subir