Hoje é dia

23 de março, nasce Calouste Gulbenkian, o homem da Cultura

Hoje é dia de recordar Calouste Gulbenkian, um arménio naturalizado britânico que se destacou no setor petrolífero, tornando-se pioneiro no negócio do petróleo no Médio Oriente. Viria a desempenhar um importante papel no fomento da Cultura em Portugal.

Foi a sua herança cultural que viria a dar origem à criação da Fundação Calouste Gulbenkian, que nasce em 1955, depois da morte de Gulbenkian – homem amante da arte, dono de uma coleção de bens artísticos imensa, com mais de 6000 peças.

Calouste Gulbenkian reuniu um espólio infinito em áreas como pintura, escultura do antigo Egito, cerâmicas do Oriente, manuscritos, encadernações e livros antigos, mobiliário, têxteis, joalharia, moedas gregas, medalhas do Renascimento, entre outro tipo de peças.

Nasceu em Üsküdar (Arménia), a 23 de março de 1869, foi engenheiro e empresário, naturalizado britânico e viria a morrer em Lisboa, a 20 de julho de 1955.

Mas 23 de março foi também o dia, corria o ano de 2017, em que o Papa Francisco aprovou o milagre que ‘faltava’ para a canonização de Francisco e Jacinta, dois dos três pastorinhos de Fátima.

Os dois irmãos, que juntamente com Lúcia presenciaram as aparições da Virgem Maria na Cova da Iria e arredores, entre maio e outubro de 1917, tornaram-se os mais jovens beatos não-mártires da história da Igreja Católica.

A canonização foi oficializada a 13 de maio, por altura das comemorações do centenário do milagre de Fátima.

Outros factos históricos recordam-se a 23 de março. Corria o ano de 1919 e em Milão, Itália, Mussolini funda um movimento político fascista.

O parlamento alemão concede plenos poderes ao governo de Hitler, neste dia, em 1933.

Já em 2001, a estação espacial russa Mir é desativada, fragmentando-se na atmosfera. Viria a cair no sul do Oceano Pacífico, perto das ilhas Fiji.

E em 2011, José Sócrates demite-se do cargo de primeiro-ministro, depois de ver chumbado o PEC V, plano de austeridade que o PSD chumbou.

Esta demissão provocou eleições antecipadas, que Pedro Passos Coelho viria a vencer, criando maioria parlamentar com uma coligação entre PSD e CDS.

Nasceram neste dia Maria Adelaide de França (1732), Pierre Laplace, matemático francês (1749), William Smith, geólogo britânico (1769), Norton de Matos, militar e político português (1867), Juan Gris, pintor e escultor espanhol (1887), e Calouste Gulbenkian, engenheiro e empresário arménio (1869).

Nasceram ainda Akira Kurosawa, cineasta japonês (1910), Lídia Franco, atriz portuguesa (1944), e Durão Barroso, político português (1956).

Morreram a 23 de março Zhenzong, Imperador chinês (1022), Papa Júlio III (1555), Paulo I da Rússia (1801), Stendhal, escritor francês (1842), Luís de Meireles do Canto e Castro, escritor português (1854), e Elizabeth Taylor, atriz anglo-americana (2011).

Neste dia, a Organização das Nações Unidas assinala o Dia Mundial do Meteorologista.

105Shares

Em destaque

Subir