Hoje é dia

20 de maio, Timor-Leste liberta-se da ocupação indonésia

Timor_Leste_Indonesia_900Hoje é dia de homenagear as vítimas timorenses, não apenas as vítimas do massacre no cemitério de Santa Cruz, em Díli, mas os resistentes que lutaram contra a ocupação da Indonésia. A 20 de maio de 2002, Timor-Leste torna-se independente.

Era conhecido como Timor Português e foi uma colónia portuguesa até 1975, ano em que se torna independente. No entanto, três dias mais tarde é invadido pela Indonésia, que levou a cabo uma política de repressão.

Timor foi oficialmente considerado pela Organização das Nações Unidas como território português por descolonizar, até 1999. No entanto, a Indonésia classificou o território como a sua 27.ª província, batizada de ‘Timor Timur’.

Desde a ocupação, aquele país levou a cabo uma política de genocídio, que resultou num longo massacre de timorenses, perpetrado em centenas de aldeias, que viriam a ser destruídas pelo exército da Indonésia.

Em outubro de 1989, o Papa João Paulo II visita Timor-Leste, presença que serviu para que os timorenses levassem a cabo diversas manifestações a favor da independência. O regime indonésio reprimiu duramente essas ações.

Até que a 12 de novembro de 1991 o exército indonésio dispara sobre manifestantes que homenageavam um estudante que tinha sido morto pelo regime. A homenagem –que decorria no cemitério de Santa Cruz, em Díli – transforma-se num violento ataque do exército, que mata no local 200 pessoas.

Nos dias posteriores outros manifestantes acabaram por ser detidos. Estes episódios transportaram a causa timorense para o mediatismo de um mundo distraído. E a causa pela independência ganha força.

Além da força, a luta contra a ocupação indonésia conquista reconhecimento mundial, com a atribuição do Prémio Nobel da Paz ao bispo Ximenes Belo e a Ramos Horta, em outubro de 1996.

Em abril de 2001, os timorenses regressam às urnas para escolher o novo líder do país. As eleições consagram Xanana Gusmão como o novo Presidente timorense, até que, a 20 de maio de 2002, Timor-Leste torna-se totalmente independente.

Hoje, assinala-se de novo a luta histórica que levou à criação de um dos países mais jovens do mundo. Recordam-se as vítimas da causa timorense, na sua caminhada rumo à liberdade.

Neste dia, recorda-se ainda a chegada de Vasco da Gama a Calecute, na Índia, em 1498. Também a 20 de maio, mas em 1769, um alvará português declara a Inquisição como Tribunal Régio. Em 1940, chegam ao campo de concentração de Auschwitz os primeiros prisioneiros. E em 2002, termina a ocupação indonésia em Timor-Leste.

Nasceram neste dia Francisco de Saldanha da Gama, religioso português (1723), Marcelino Champagnat, religioso francês e fundador do Instituto Irmãos Marista (1789), Honoré de Balzac, escritor francês (1799), John Stuart Mill, filósofo e economista britânico (1806), Lydia Cabrera, antropóloga e poetisa cubana (1899), Maria Teresa Horta, escritora e poetisa portuguesa (1937), Joe Cocker, cantor britânico (1944), e Cher, atriz e cantora norte-americana (1946).

Morreram a 20 de maio o Papa João XXI, único Papa português (1277), Cristóvão Colombo, navegador italiano (1506), Ana Néri, enfermeira brasileira (1880), Paul Ricoeur, filósofo francês (2005), e Stanley Miller, cientista norte-americano (2007).

Assinala-se hoje a Dia da Independência de Timor-Leste e, em Portugal, o Dia da Marinha.

Mais partilhadas da semana

Subir