Hoje é dia

14 de julho, nasce Ingmar Bergman, o realizador romântico

Ernst Ingmar Bergman nasceu em Uppsala, a 14 de julho de 1918. Foi um dramaturgo e cineasta sueco, cuja obra mereceu reconhecimento mundial, bem representado nas dezenas e dezenas de prémios que recebeu. Hoje é dia de recordar Bergman.

“O cinema não é um ofício. É uma arte. O cinema não é um trabalho de equipa. O diretor está só, diante de uma página em branco. Para Bergman, estar só é fazer perguntas a si próprio. E filmar é encontrar as respostas. Nada poderia ser mais romântico”, afirmou Jean-Luc Godard, em 1958.

Reunir a gigantesca obra de Ingmar Bergman num texto curto é impossível. E por isso se torna obrigatório citar Jean-Luc Godard, que foi mais além e conseguiu, em menos palavras do que um curto texto, homenagear este cineasta sueco de forma apaixonante.

Bergman estudou na Universidade de Estocolmo, onde se interessou por teatro e, mais tarde, por cinema. Iniciou a carreira em 1941, escrevendo a peça ‘Morte de Kasper’, três anos antes de criar o seu o primeiro argumento, para o filme ‘Hets’. A estreia de Ingmar Bergman como realizador dá-se em 1945, com a película ‘Kris’.

Os trabalhos de Bergman centraram-se, regra geral, em questões existenciais, como a mortalidade, a solidão e a fé. As influências literárias provêm do teatro, de Henrik Ibsen e de August Strindberg.

Ao longo da sua carreira, conquistou três Óscares, na categoria de Melhor Filme de Língua Estrangeira, além de duas mãos cheias de nomeações para as estatuetas douradas. Inúmeros outros prémios realçam a nobreza da sua obra. Morre em Fårö, a 30 de julho de 2007.

Neste dia, em 1867, o químico sueco Alfred Nobel faz a primeira demonstração da dinamite. Na Alemanha, em 1933, o partido nazi dá início à perseguição aos comunistas. E também a 14 de julho, mas em 1979, Jean Michel Jarre dá o primeiro concerto, em Paris, no Place de la Concorde, entrando para o Guiness Book pela maior assistência.

Nasceram neste dia Camillo Rusconi, escultor italiano (1658), Johannes Peter Müller, fisiologista alemão (1801), Arthur de Gobineau, filósofo francês (1816), João Cristino da Silva, pintor português (1829), Gerald Ford, ex-presidente dos EUA (1913), Ingmar Bergman, cineasta sueco (1918), Geoffrey Wilkinson, químico britânico, Nobel de Química (1921), James Whyte Black, cientista escocês, Nobel de Fisiologia e Medicina (1924), e Javier Solana, político espanhol (1942),

Morreram a 14 de julho Lorenzo Mascheroni, matemático italiano (1800), e Jacinto Benavente, escritor e dramaturgo espanhol (1954).

Hoje, assinala-se o Dia Mundial da Liberdade de Expressão, o Dia de São Camilo de Lellis, para a os católicos, patrono dos enfermos e dos hospitais, o Dia do Doente.

26Shares

Em destaque

Subir