Motores

Peugeot deixa o todo-o-terreno após o Dakar de 2018

A Peugeot vai abandonar a Taça do Mundo de Todo-o-terreno após o Rali Dakar de 2018. Uma possibilidade avançada há algum tempo por Sebastien Loeb, e que agora se torna realidade. Isto apesar do programa da marca no Campeonato do Mundo de Resistência (WEC) e nas 24 Horas de Le Mans ter sido para já cancelado.

Se no WEC se entende a decisão pelas “incertezas quando ao regulamento dos LMP2020”, a saída do todo-o-terreno acontece depois da marca francesa ter ganho o Rali Dakar de 2017.

Os responsáveis do Grupo PS falam de “uma forte redução orçamental” e da “falta de um planeamento límpido”. Depois argumenta que a “visibilidade” do atual envolvimento desportivo não era a desejada para a marca.

Fica no ar a ideia de que o futuro elétrico da indústria automóvel levou a casa de Sochaux a seguir este caminho e o da Fórmula E. Mas mesmo nesse campo a Peugeot quer que as baterias sejam standartizadas. “Isso implicaria uma verdadeira redução de custos, por forma a parar uma corrida ao armamento”.

Ainda em relação ao WEC, a Peugeot consdera que o Campeonato do Mundo de Resistência tornou-se um programa “dispendioso”. Daí que o Dakar do próximo ano seja o fim da linha para a marca do leão em termos de competição, pelo menos para os tempos mais próximos – excetuando o ‘Mundial’ de Ralicross, em parceria com o Team Peugeot Hansen.


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir