Nas Redes

Moura Guedes critica Cavaco por desconfiar de Sócrates e não ter feito nada

Numa análise ao livro ‘Quinta-feira e Outros Dias’, da autoria de Cavaco Silva, onde o ex-chefe de Estado conta detalhes sobre desconfianças relativamente a José Sócrates, Manuela Moura Guedes acusa o ex-Presidente da República de “nada fazer”. Cavaco remeteu-se ao silêncio, chegaram a ser incómodos períodos de silêncio, mas, atenção, sabe-se agora com uma profunda desconfiança sobre Sócrates… Que Deus lhe perdoe…”, escreve a jornalista.

“Há coisas que não mudam, seja às quintas ou a qualquer outro dia da semana. Cavaco Silva é uma delas. A sua velha máxima ‘Nunca me engano e raramente tenho dúvidas’ mantém-se fresca como há décadas e pode ser mesmo a grande conclusão a tirar do seu livro pós-presidencial”, começa por escrever a jornalista.

Manuela Moura Guedes – que, recorde-se, foi uma das jornalistas mais ativas nas investigações ao caso-Freepor e a outros que envolviam José Sócrates, quando o socialista ainda era primeiro-ministro, não entende a passividade de Cavaco, perante tantas desconfianças.

“Ele faz questão de demonstrar que Sócrates não o “enganou”, que rapidamente topou o ex-primeiro ministro e começou a desconfiar dele. Desconfiou do caráter, das relações com a comunicação social, dos negócios na Venezuela, do negócio da PT/OI , do otimismo de Sócrates , desconfiou , desconfiou até que foi levado, como todos nós, à trágica certeza de Portugal estar à beira da bancarrota”, escreveu, no seu post.

E prossegue, com uma pergunta: “E que fez Cavaco, durante todos esses anos, como Presidente da República profundamente desconfiado?”

Manuela Moura Guedes também dá a resposta. “Nada! Silêncio! Quando o País viveu crises protagonizadas pelo ex-primeiro-ministro, Cavaco remeteu-se ao silêncio, chegaram a ser incómodos períodos de silêncio, mas, atenção, sabe-se agora com uma profunda desconfiança sobre Sócrates… Que Deus lhe perdoe…”, conclui.

Mais partilhadas da semana

Subir