Motociclismo

Mário Patrão regressa ao CNTT com terceiro lugar

Mário Patrão mostra-se satisfeito com o terceiro lugar da competição das motos da Baja TT de Idanha-a-Nova, sobretudo porque se tratou do regresso do piloto de Seia à competição, depois da paragem de três meses devido a uma lesão contraída após a queda que sofreu em Reguengos de Monsaraz.

Nesta sexta e penúltima prova do CNTT, Patrão ‘jogou pelo seguro’, não correndo riscos, de modo a não comprometer a sua forma física para quando chegar o Rali Dakar 2018.

“Estive ausente três meses e regresso agora ainda com baixo ritmo, mas consegui encontrar um ritmo que me permitiu chegar à final sem agravar as lesões, que é o mais importante para mim neste momento. Não posso comprometer o final de ano e por isso não quis correr riscos”, explica Mário Patrão.

“Sei que ainda há muito trabalho pela frente. Ainda tenho mais duas provas internacionais para cumprir para depois ainda voltar a Portalegre no final de Outubro. Por essa altura já espero estar mais rápido”, revela também o piloto da KTM.

“A meta é dar melhor em todas as provas e trabalhar para chegar ao final do ano o melhor possível. Quero estar neste Dakar melhor do que estive no ano passado e para tal é preciso ter alguma cautela, não arriscar em demasia e não comprometer o resultado e o objetivo a que me proponho”, acrescenta Mário Patrão.

O piloto prepara-se agora para participar em mais duas grandes maratonas de todo-o-terreno internacionais, ambas disputadas em solo africano; o Panafrica Rally que decorre de 23 a 30 de setembro e o Rallye OiLybia du Maroc agendado para de 4 a 10 de outubro.


Patrocinado

Apps PT Jornal

Descarregar na App StoreDescarregar do Google Play

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir