Animais

Vídeo: Sabia que os jaguares tomam alucinogéneos?

jaguar nos acidos Os jaguares gostam de ver o mundo com outras cores. Estes felinos foram apanhados, nas florestas do Perú, a comer ‘banisteriopsis caapi’, uma trepadeira que contém substâncias alucinogénicas.

Vários antropólogos já abordaram como algumas tribos indígenas do Perú fazem cerimónias com a ‘Ayahuasca’, uma bebida com ‘poderes’ alucinogénicos feita a partir de uma trepadeira da região, a ‘banisteriopsis caapi’. Mas sabia que os jaguares também ‘dão nos ácidos’?

Mesmo na antiguidade, pensadores como Aristóteles referiam casos de animais com comportamentos ‘típicos’ de quem sofre de uma dependência. Mas o estudo da ‘zoofarmárcia’ ainda é recente, como demonstra o facto do termo ainda não ser reconhecido em português.

Uma equipa da BBC conseguiu registar um jaguar a ‘drogar-se’ com caules de ‘banisteriopsis caapi’, a trepadeira da qual é processada a ‘Ayahuasca’.

Esta planta contém dimetiltriptamina (DTM), uma substância alucinogénica que pode ser produzida pelo organismo humano: estudos recentes apontam para que seja processada nos momentos do nascimento e da morte.

É o DTM do chá de ‘Ayahuaska’ que provoca as alterações da consciência, mesmo quando misturado com inibidores. Depois de uns instantes com visões e pensamentos muito rápidos, os objetos vão perdendo as formas até se dissolverem.

Nos humanos, o batimento cardíaco acelera, provocando um aumento da tensão arterial. As pupilas ficam dilatadas e ao fim de uns dez minutos surgem alucinações, mesmo de olhos abertos, e podem ocorrer sentimentos de paranóia.

Vários biólogos já tinham demonstrado que os herbívoros se ‘medicam’ com ‘banisteriopsis caapi’, mas são raros os casos envolvendo predadores de topo, como os jaguares. Porém, não se consegue saber o que vai na mente deste felinos quando tomam alucinogéneos.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir