Mundo

Vídeo: Filha bebé de toxicodependente adotada por polícia

Se pensa que a missão da polícia se resume a garantir a segurança dos cidadãos durante o período de trabalho, fique a saber que dos EUA chega uma história de amor comovente de um agente de polícia que, durante as patrulhas, conheceu nas ruas uma toxicodependente grávida e acabou por adotar a bebé quando esta nasceu.

Durante as patrulhas que ia realizando por Santa Rosa, na Califórnia, o polícia Jesse Whitten conheceu uma toxicodependente que estava grávida.

O agente foi conhecendo a história da mulher nas conversas que ia tendo com esta, de tal modo que até a esposa do polícia acabou por conhecer aquela mulher que, mesmo grávida, não conseguia largar a dependência das drogas.

“Nós desenvolvemos uma espécie de amizade estranha com ela. Sempre que estava a patrulhar e a via acabávamos por falar muito. Não é todos os dias que te deparas com alguém que não tem teto para morar e que ainda por cima está grávida”, revelou o polícia, em declarações à CBS.

A mulher do polícia também recorda o momento em que conheceu a grávida na rua.

“Eu exclamei em tom de admiração que ela estava grávida. Ela disse que sim e colocou a minha mão no ventre dela”, recorda a mulher de Jesse Whitten, sublinhando que, naquele momento, sentiu a “filha no útero daquela mulher”.

“Não sabia que um dia iria ser a minha filha. Eu sei que ela não foi má pessoa por ter dado a filha para adoção, bem pelo contrário. Ela amava tanto a filha que lhe quis dar uma família”, revela a esposa do agente.

Numa dessas conversas, surgiu a possibilidade de o casal vir a adotar a criança que estava para nascer.

Ao longo da gravidez da mulher sem-abrigo, Jesse e a esposa ainda tentaram colocar a toxicodependente num centro de reabilitação, mas esta não largou o vício.

A mulher acabou por dar à luz e a bebé foi-lhe retirada pelas autoridades, sendo que o polícia e a esposa (pais de três filhas) foram ‘convidados’ a ficar com a criança.

Ora, o ‘convite’ foi logo aceite e a história de amor tem comovido os EUA e não só.

Com o nome de Harlow Masie Whitten, a bebé, que acabou por sofrer efeitos secundários do consumo de drogas que a mãe biológica tinha durante a gravidez, vive saudável com o polícia, a esposa e as três irmãs que ‘ganhou’ ao chegar à família Whitten.

E amor não lhe falta como mostra o vídeo da bebé que tem agora seis meses de vida:


Mais partilhadas da semana

Subir