Motociclismo

Valentino Rossi só renovará com a Yamaha se o seu desempenho melhorar

Valentino Rossi admite ser “melhor não renovar” o seu contrato com a equipa Yamaha de MotoGP se os seus resultados não melhorarem no começo da próxima época.

O italiano viveu uma segunda parte de 2019 muito difícil, sendo regularmente batido pelo seu companheiro de equipa Maverick Viñales, já para não falar do ‘rookie’ Fabio Quartararo, na melhor das Yamaha da SRT Petronas.

Rossi foi sétimo no campeonato do Mundo, a sua pior classificação desde a primeira época que teve com a Ducati, em 2011. E o transalpino, que faz 41 anos no próximo mês de janeiro admite que agora terá de ponderar se prolonga a sua relação com a Yamaha.

Para o titular da Yamaha M1 # 46 “o próximo ano será crucial”, por isso 2020 será o ano para decidir o que fazer do seu futuro: “O meu contrato terminar no final de 2020, por isso infelizmente terei de decidir brevemente o que fazer, ou continuar ou não. Logicamente que a decisão de continuar dependerá muito dos resultados”.

“Fizemos mudanças na equipa, por isso vamos ver se conseguimos ser mais competitivos e rápidos. Para renovar temos de ser mais fortes do que fomos estes ano. Senão é melhor não renovar”, enfatiza Valentino Rossi.

Uma das coisas que poderá influenciar a decisão do italiano será a possibilidade do seu antigo companheiro de equipa, Jorge Lorenzo, se tornar um piloto de testes da Yamaha, após ter colocado um ‘ponto final’ na sua carreira.

Sobre Lorenzo regressar à marca dos três diapasões numa função diferente, Rossi mostra-se espetante: “Se voltar à M1 será forte. O problema é que quer muito dinheiro e para a Yamaha isso será difícil. Gostaria de ter Lorenzo com piloto de testes, porque é um piloto rápido que nos pode ajudar”.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir