Motores

Tommi Makinen defende ralis mais curtos no ‘Mundial’

O Tetracampeão do Mundo de ralis Tommi Makinen considera que o Campeonato do Mundo da especialidade devia ter provas mais curtas de modo a baixar os custos e aumentar o espetáculo. O finlandês, que dominou o WRC entre 1996 e 1999, ao serviço da Mitsubishi, não esqueceu que desde os seus tempos de piloto os ralis do ‘Mundial’ baixaram significativamente a quilometragem dos percursos, sendo concentrados em redor de ‘centros nevrálgicos’.

Agora à frente da equipa Toyota, Makinen considera que as organizações das provas deveriam proceder a nova redução do percurso das mesmas, que atualmente se situa em redor de 350 km de classificativas.

“O número de especiais pode até ficar o mesmo, mas gostaria de não ter mais classificativas entre 30 e 50 km. Teria igualmente um grande impacto ao nível dos custos”, afirma o antigo piloto de Ilta-Sanomat.

Tommi Makinen defende que duas etapas serão suficientes em provas do WRC, e que especiais mais compactas trariam mais intensidade aos ralis: “Com especiais mais curtas seria mais fácil organizar os ralis, que não precisariam de estradas de socorro. A gestão dos pneus seria menos importante e isso significaria andar a fundo do princípio ao fim”.

Mais partilhadas da semana

Subir