Desporto

Técnico do Guimarães quer corrigir erros do jogo anterior frente ao Portimonense

O treinador Luís Castro reconheceu hoje que o Vitória de Guimarães precisa de “mudar muito” face à derrota com o Tondela, por 1-0, para vencer o Portimonense, na 22.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

O ‘timoneiro’ vitoriano realçou que a sua equipa, sexta classificada, com 32 pontos, averbou uma “derrota amarga” , na ronda anterior, com uma “entrada muito má” em jogo, e precisa de voltar a ser “mais incisiva no último terço do campo” para regressar aos triunfos e continuar a perseguir o apuramento para a Liga Europa – está a três pontos do Moreirense, quinto.

“[O Vitória] tem de mudar muito em relação ao que não fez em Tondela. Fizemos um jogo mau e olhamos para o próximo jogo como uma hipótese de retificar tudo o que não fizemos no último jogo, para voltarmos a um resultado positivo que nos continue a alimentar o nosso objetivo”, disse, na conferência de antevisão ao jogo de sábado, na academia do clube vimaranense.

Para Luís Castro, os minhotos vão ter de ser “muito mais fiéis” à forma de jogar apresentada ao longo da competição, quer na defesa, quer no ataque, mesmo sabendo que vão encontrar um adversário que, além de querer ganhar, tem “potencial” para se intrometer na luta pelo acesso à Liga Europa – ocupa o nono lugar, com 27 pontos.

O Portimonense, que atravessa um ciclo de três derrotas consecutivas – Chaves (1-0), Santa Clara (2-1) e Rio Ave (1-0) – não vai poder contar, em Guimarães, com os médios Dener, lesionado, e Paulinho, expulso frente aos vila-condenses, mas o técnico vitoriano avisou que a sua equipa deve olhar para o que o adversário “tem de bom” e não para as suas “fragilidades”.

“Plantéis como os do Portimonense, servidos de bons jogadores e de um bom treinador [António Folha], devem ser olhados com muita atenção. O facto de não contar com alguns jogadores não reduz a sua capacidade ao ponto de olharmos para o jogo de forma descansada. Temos de olhar para o jogo como um grande desafio”, observou.

Tal como a formação algarvia, o Vitória também vive um mau ciclo de resultados, com cinco derrotas nos últimos oito jogos oficiais e a agravante de ter marcado apenas três golos nesse período, todos eles da autoria do médio Tozé.

Apesar de ter reconhecido que os números mais recentes “preocupam”, Luís Castro disse estar à espera que os seus pupilos revelem doravante mais tranquilidade no ataque, a começar pelo duelo de sábado.

“Aqui e ali, não sinto a equipa com a tranquilidade necessária para chegar ao golo. Espero que possamos ser mais eficazes e que consigamos o que conseguimos em grande parte da primeira volta, em que estivemos um largo período sem perder [12 jogos] e em que somámos muitos pontos”, disse.

O Vitória de Guimarães, sexto classificado, com 32 pontos, recebe o Portimonense, nono, com 27, às 18:00 de sábado, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Mais partilhadas da semana

Subir