Motores

Sordo contente por liderar numa manhã difícil para Ogier

A pausa para almoço e assistências na Exponor serviu para os concorrentes do Rali de Portugal falarem um pouco do que se passou nas especiais matinais.

E se para o líder Dani Sordo correu tudo muito bem, para os pilotos mais atrás tudo foi mais complicado, como foi o caso do Campeão do Mundo, Sebastien Ogier: “Foi duro, abrir a estrada, mas conseguimos limitar um pouco a perda de tempo. Além disso o calor dentro do carro foi imenso, o que também tornou tudo um pouco mais difícil”.

Fotos: Ricardo Cachadinha

“Está tudo a correr de feição. O carro funcionou perfeitamente, sempre a corresponder aquilo que lhe pedi. O entrosamento com o Carlos (Del Barrio, o navegador) foi perfeito. Extamante aquilo que queria para este começo de rali. Espero continuar assim para a tarde, mas não foi fácil”, afirmou Sordo.

Andreas Mikkelsen referiu ter sentido algumas dificuldades, sobretudo no começo da manhã: “O primeiro troço foi muito complicado, não consegui andar como gostaria, depois foi melhorando e terminei bem. Espero continuar a melhorar, penso que com algumas alterações que vamos fazer isso será possível”.

Outro piloto da Hyundai, Thierry Neuville, afirmou estar a fazer os possíveis aos comandos do i20 WRC: “Não consigo andar melhor. O Sebastien (Ogier), de alguma forma, consegue sair-se melhor a ‘limpar a estrada’. Créditos para ele. Eu cá por mim estou a andar o mais que posso, dentro de um certo limite de segurança”.

“Não foi o que queríamos na primeira especial do dia. Ainda por cima tivemos problemas com os intercomunicadores. Depois melhorou bastante no segundo troço, mas no terceiro algo não correu bem e não consigo perceber bem o quê. Mas acredito que podemos ser melhores da parte da tarde, ainda que os troços possam estar mais danificados”, referiu por sua vez Kris Meeke.

Esapekka Lappi é agora o único piloto da Toyota em prova, pelo que a responsabilidade é maior. No entanto o finlandês esperava andar melhor, sendo que um toque terá deixado o seu Yaris em piores condições: “Não sei no que terei tocado. O carro não ficou muito bem a partir dessa altura. Andei sempre no limite, pois debati-me com falta de aderência durante toda a manhã. Vamos tentar perceber o que se passa e melhorar para a parte da tarde. Foi pena o que se passou com Jari-Matti e com o Ott, mas agora tenho de pensar em fazer uma prova sem correr muitos riscos e pensar na pontuação para o campeonato de construtores”.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir