Motores

Sebastien Ogier pessimista para a Sardenha

Sebastien Ogier não parece muito otimista em relação às suas possibilidades de vitória no Rali da Sardenha, que no final desta semana se disputa naquela ilha italiana do Mediterrâneo.

O Campeão do Mundo terá de ir a ‘abrir’ a estrada, depois de se ter mantido na liderança do campeonato após o Rali de Portugal, algo que não desejava, depois do seu rival ter ‘levantado o pé’ na Power Stage da prova lusa do WRC.

Ogier vê o facto de ir a ‘limpar a estrada’ na primeira etapa (sexta-feira) na Sardenha como uma grande desvantagem, e já quase que admite a derrota na prova transalpina: “Iir em primeiro na Sardenha equivale quase a fazer uma cruz sobre a vitória quase de entrada, já que o fenómeno da limpeza em pisos de terra é muito importante”.

“Embora a meteorologia possa inverter a tendência, como foi o caso no ano passado, não parece que a chuva vá cair. Espero por isso um fim de semana difícil, e faremos contas no final. Isto apesar do C3 WRC ter progredido nos últimos tempos e eu ter tido boas sensações com ele em Portugal. O nosso desempenho no primeiro dia voltará mais uma vez a condicionar o nosso resultado final”, considera o piloto de Gap.

O chefe da Citroën também sente alguma apreensão, mas confia nas capacidades de Ogier para ‘dar a volta’ ao problema de ‘abrir’ a estrada na sexta-feira: “Este rali constitui sempre um grande desafio para mecânicas e homens. Ainda o será mais para Sebastien e Julien (Ingrassia, o co-piloto), obrigados novamente a ‘limpar’ as especiais para os concorrentes seguintes no primeiro dia, num terreno onde esse fenómeno é ainda mais pronunciado que em Portugal”.

“Conhecemos ainda assim o seu talento e a sua combatividade. Eles vão fazer tudo para tirar o melhor partido desta posição de partida claramente desvantajosa, já que os testes antes de Portugal permitiram otimizar ainda o C3 WRC, e isso será verificado em corrida, mesmo se isso é difícil de demonstrar”, acrescenta Pierre Budar.

Mais partilhadas da semana

Subir