Motores

Sebastien Ogier não quer estatuto de número um na Citroën

Sebastien Ogier não está interessado em ter o “estatuto de número um” no seio da equipa Citroën no Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) de 2019.

O francês, que garantiu o seu sexto título competindo pela M-Sport, onde era claramente o ‘motor’ da equipa de Malcolm Wilson, diz que prefere concentrar-se no potencial do C3 WRC e torná-lo competitivo ao longo da próxima época do que ter protagonismo na formação liderada por Pierre Budar.

Agora companheiro de equipa de Esapekka Lappi, vindo da Toyota, Ogier é direto no que diz respeito ao tratamento dentro da formação da Citroën: “Sabem uma coisa? Não quero ter qualquer estatuto de número um da equipa. Para mim tem de haver hipóteses iguais enquanto ambos tivermos hipóteses de lutar pelo campeonato. Se um tiver mais hipóteses e o outro não, então é lógico dar apoio ao melhor colocado. Neste momento começamos com as mesmas hipóteses”.

“Estou contente em ter Esapekka na equipa. É um tipo fixe e definitivamente tem algum talento. Além de que pode trazer algumas coisas interessantes da sua antiga equipa. De momento acredito que podemos fazer o que temos de fazer – não há razões para pensar que a equipa não pode ter bons resultados”, avalia o piloto de Gap.
Do passado da M-Sport Sebastien Ogier guarda uma postura por parte da equipa britânica bem como dos seus ex-companheiros, mas se o apoio da equipa é sempre importante o êxito conseguido quer que seja obtido bastante pelo mérito próprio.

“Houve tempos em que tive alguma ajuda dos meus companheiros de equipa. Não é a forma como gostaria de ter. Quero começar a época a pensar assim. O meu objetivo é dar o máximo como fiz ao longo da minha carreira. Sim, houve situações em que beneficiei do apoio dos meus colegas e pelo menos quero sempre devolver-lhes o que fizeram por mim”.

6Shares

Mais partilhadas da semana

Subir