Local

Salvador Malheiro passou “atestado de burrice” ao povo de Ovar, acusa o CDS

O CDS de Ovar não se conforma com a despesa do carro alugado pelo presidente da Câmara (e vice-presidente do PSD) e considerou que a justificação dada por Salvador Malheiro é “um atestado de burrice ao povo vareiro”.

Na origem desta polémica está o Lexus S 500H alugado pela Câmara de Ovar para usufruto do presidente. Uma “excentricidade”, no entender do CDS local.

Salvador Malheiro reagiu no Facebook, lembrando que “os desafios da descarbonização e da economia circular” justificam, cada vez mais, “a partilha de bens e o aluguer de serviços”.

O Lexus S 500H, com um valor de mercado próximo dos 75 mil euros, custa 1600 euros por mês à autarquia de Ovar.

Caso a Câmara decida avançar para a compra do automóvel, ficará por menos de 75 mil euros, sendo ainda ‘descontadas’ as mensalidades entretanto pagas, segundo explicou Salvador Malheiro.

As explicações do autarca, no entanto, continuam a não convencer o CDS de Ovar.

“Já vem sendo hábito ver o presidente da Câmara Municipal de Ovar a subestimar a inteligência dos munícipes, provavelmente, julgando que ‘com festas e bolos se enganam os tolos'”, consideraram os centristas, num post publicado no Facebook.

Uma justificação “pouco hábil e injustificável”, até pelas “muitas opções de viaturas híbridas ou elétricas bem mais baratas do que o Lexus”.

“Esta manobra politicamente habilidosa, mas na prática pouco hábil, de justificar que a Câmara Municipal de Ovar alugou uma viatura de luxo de alta gama para uso do seu presidente, tornando-o muito provavelmente no detentor de cargo político a usar viatura mais cara em Portugal, é um atestado de burrice ao povo vareiro que merece respeito”, acusou o CDS.

Os centristas lembraram ainda que os autarcas de Porto e Lisboa “usam viaturas que custam metade do preço”.

Mais partilhadas da semana

Subir