Motores

Rebellion deixa a competição após as 24 Horas de Le Mans

Depois de ter anunciado que alinhará com dois R-13 LMP1 nas 24 Horas de Le Mans deste ano, a Rebellion Racing fez saber que deixará o desporto automóvel logo após a clássica francesa de resistência.

Este anúncio é uma grande surpresa, pois esperava-se que o regresso da Peugeot no Campeonato do Mundo de Resistência (WEC) em 2022, com um Hypercar acontecesse numa associação com a estrutura suíça.

Mas agora através do seu presidente fica-se a saber que a Rebellion deixa o automobilismo. “O desporto automóvel foi um formidável recurso para a Rebellion”, referiu Alexandre Pesci, adiantando ainda: “Os circuitos foram vitrinas excecionais e uma caixa de ressonância importante para a nossa marca junto de um público muito vasto”.

“O retorno do investimento destas atividades no desporto automóvel foi mais do que satisfatório. Vamos aproveitar o tempo para redefinir os contornos da nossa atividade, mas os efeitos desta decisão serão imediatos a partir do final da temporada do WEC. Não são decisões fáceis de tomar e somos forçados a não poder assumir compromissos passados para os anos que estão para vir”, declarou ainda o CEO da Rebellion.

Por sua vez diretor da conhecida marca de relógios garante: “As 24 Horas de Le Mans 2020 serão a nossa última corrida, e é um ponto honra terminar a aventura numa nota positiva, enriquecendo um palmarés já excelente. Agradecemos a todos os nossos parceiros por terem confiando em nós e por termos, em conjunto, enfrentando tantos de desafios com o espírito rebelde”.

“Como equipa privada, estamos certos de ter escrito uma grande página do desporto automóvel. Estou persuadido do sucesso do desafio futuro da marca Peugeot no WEC e lamento não podermos estar em condições de a acompanhar”, acrescenta Calim Boudhara.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir