Motores

Rebellion bate Toyota nas 4 Horas de Xangai e Félix da Costa vence LMP2

Bruno Senna, Gustavo Menezes e Norman Nato venceram as 4 Horas de Xangai e deram a primeira vitória da época à Rebellion no ‘Mundial’ de Resistência.

António Félix da Costa subiu ao lugar mais alto do pódio em LMP2, ao vencer a categoria juntamente com Anthony Davidson e Roberto Gonzalez, numa prova onde Filipe Albuquerque foi terceiro classificado.

Embora largasse da ‘pole-position’, a tripla do Rebellion R13 # 1 não foi a mais lesta na largada fazendo com que fosse ultrapassada na partida pelos dois Ginetta G60-LT P1 e por um dos Toyota T050 Hybrid antes da linha de meta, o que lhes valeu uma penalização.

Durante a primeira hora de corrida Nato rodou em posições recuadas, deixando o protagonismo aos dois Ginetta, que depois se viriam a inclinar perante a maior velocidade de ponta do Rebellion e dos Toyota, bem como uma melhor eficácia nas paragens nas boxes.

Já na segunda hora Menezes assumiu o comando da corrida, diante do Toyota # 8 de Sebastien Buemi, que não se deixara surpreender pela tática do Rebellion e passou a seguir o líder como uma ‘sombra’.

Na última hora e 45 minutos Senna continuou o bom trabalho dos seus companheiros de equipa para a dar à formação suíça o seu primeiro triunfo da época, batendo os dois Toyota, já que atrás de Buemi, Kazuki Nakajima e Brendon Hartley terminaram Kamui Kobayashi, Mike Conway e José Maria Lopez.

Mas a prova chinesa valeu pela primeira vitória de António Félix da Costa no ‘Mundial’ de Resistência, depois de cruzar a meta na primeira posição da categoria LMP2 com o Oreca # 38 da JOTA Sport ‘vingando’ a desclassificação de que ele e os seus companheiros de equipa foram alvo na prova anterior, com Anthony Davidson a chegar ao comando da categoria ainda no final da primeira hora de corrida.

Félix da Costa, Davison e Gonzalez terminaram com 17 segundos de vantagem sobre o Oreca # 37 da Jackie Chan DC Racing de Gabriel Aubry, Ho-Pin Tung e Will Stevens, ficando o último lugar do pódio para Filipe Albuquerque, Phil Hanson e Paul di Resta, depois uma boa recuperação de problemas iniciais no Oreca # 22 da United Autosports.

Em GTE Pro a Ferrari conseguiu a sua primeira vitória da época, através do triunfo de Alessandro PierGuidi e James Calado, que no 488 # 51 conseguiram resistir ao ataque de Nicki Thiim e Marco Sorensen, antes do Aston Martin Vantage # 95 sofrer um furo. O que permitiu aos Porsche serem os grandes rivais dos vencedores.

Kevin Estre e Michael Christensen, no 911 # 92 terminaram a menos de sete segundos do Ferrari vencedor. Giamaria Bruni e Richard Lietz, no outro Porsche 911, completaram o pódio desta categoria.

Classificação final
1º Senna/Menezes/Nato (Rebellion) 4h00m59,195s
2º Buemi/Nakajima/Hartley (Toyota) + 1m06,984s
3º Conway/Kobayashi/Lopez (Toyota) + 1 volta
4º Hanley/Orudzhev (Ginetta) + 1 volta
5º Robertson/Simpson/Smith (Ginetta) + 2 voltas
6º Gonzalez/Félix da Costa/Davidson (Oreca) + 4 voltas
7º Tung/Aubry/Stevens (Oreca) + 4 voltas
8º Hanson/Albuquerque/Di Resta (Oreca) + 4 voltas
9º Laurent/Negrão/Ragues (Alpine) + 5 voltas
10º Van Eerd/Van der Garde/De Vries (Oreca) + 5 voltas

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir