Motores

Rebellion vence as 6 Horas de Austin e Filipe Albuquerque também

A Rebellion confirmou com a vitória o favoritismo que tinha para as 6 Horas de Austin quinta prova do Campeonato do Mundo de Resistência (WEC), onde Filipe Albuquerque somou o seu segundo triunfo na categoria LMP2.

Foi uma corrida que Gustavo Menezes, Norman Nato e Bruno Senna dominaram, depois de terem largado da ‘pole-position’, que já deixava o trio da formação suíça numa posição de vantagem face ao andamento evidenciado.

O handicap aplicado aos Toyota TS050 Hybrid – conhecido por EoT – acabou por se notar bastante no Circuito das Américas, onde Brendon Hartley, Kazuki Nakajima e Sebastien Buemi puderam apenas mitigar um pouco a diferença para a tripla da Rebellion, que nunca perdeu o controlo dos acontecimentos, apesar de episodicamente – durante as paragens nas boxes – perder a liderança.

O segundo LMP1 da Toyota, o # 7, nunca se mostrou capaz de desafiar os dois primeiros, pelo que a Mike Conway, José Maria Lopez e Kamui Kobayashi não restou outra alternativa senão o último lugar do pódio.

Já na ‘guerra’ dos LMP2 a história foi bem diferente, pois se Nicolas Lapierre, Antonin Borga e Alain Coigny largaram da ‘pole’ no Oreca # 42 da Cool Racing, a prova acabaria por ter um desfecho bem diferente.

Apesar de inicialmente se atrasarem devido a problemas na pressão dos pneus do Oreca # 22 da United Autosports, Paul Di Resta, Filipe Albuquerque e Phil Hanson conseguiriam ‘dar a volta por cima’ e efetuar uma recuperação que os levaria à primeira posição e à segunda vitória consecutiva. Um êxito que os catapultou para a liderança do campeonato da categoria.

Ho-Pin Tung, Gabriel Aubry e Will Stevens bem tentaram bater a tripla da United Sports no Oreca # 37 da Jackie Chan DC Racing, mas acabariam a mais de 24 segundos de Albuquerque e dos seus companheiros de equipa, mesmo depois de Di Resta parar uma última vez nas boxes a pouco mais de 20 minutos do fim para efetuar um reabastecimento rápido.

António Félix da Costa subiu ao último lugar do pódio, depois de um começo difícil de prova no Oreca # 38 da JOTA Sport, que mais uma vez dividiu com Anthony Davison e Roberto Gonzalez.

A equipa iniciou a corrida no quinto posto dos LMP2, mas aos poucos foi progredindo na classificação, na fase final chegou ao terceiro posto, aproveitando os percalços do Racing Team Netherland, apesar dos bons turnos de condução de Nick de Vries, que no final não ‘aguentou’ a quarta posição da categoria, face à pressão de Nicolas Lapierre, que assim terminou no quarto posto no Oreca # 42 da Cool Racing.

Bem animada foi a categoria GTE Pro, ainda que a vitória da Aston Martin nunca tenha estado em causa, sobretudo por parte do Vantage # 95 de Marco Sorenson e Nicki Thiim que assim acabaram por se impor, com uma volta de vantagem sobre o Porsche 911 RSR # 92 de Michael Christensen e Kevin Estre.

Classificação
1º Senna/Menezes/Nato (Rebellion) 189 voltas
2º Buemi/Nakajima/Hartley (Toyota) + 51,524s
3º Conway/Kobayashi/Lopez (Toyota) + 2 voltas
4º Hanson/Albuquerque/Di Resta (Oreca) + 7 voltas
5º Tung/Aubry/Stevens (Oreca) + 7 voltas
6º Gonzalez/Félix da Costa/Davidson (Oreca) + 8 voltas
7º Lapierre/Borga/Coigny (Oreca) + 8 voltas
8º Van Eerd/Van der Garde/De Vries (Oreca) + 8 voltas
9º Laurent/Negrão/Ragues (Alpine) + 9 voltas
10º Patterson/Yamashita/Fjordbach (Oreca) + 10 voltas

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir