Fórmula 1

Raikkonen ganha nos Estados Unidos com um final que adia a decisão do título

Kimi Raikkonen venceu o Grande Prémio dos Estados Unidos, disputado este domingo no Circuito das Américas, em Austin (Texas), cujo final acabou por ser um autêntico golpe de teatro quando já se pensava que Lewis Hamilton iria festejar o título.

O finlandês da Ferrari construiu a sua vitória na largada fulgurante que realizou partindo da segunda posição da grelha, surpreendendo Hamilton, numa manobra que tentou ser imitada mais atrás por Sebastian Vettel.

Só que o alemão da Ferrari, que tinha de terminar logo atrás do britânico da Mercedes para adiar a questão do título, envolveu-se numa disputa pelo quarto lugar com Daniel Ricciardo que culminou num pião de Vettel após toque no Red Bull do australiano.

Vettel perdeu várias posições e foi obrigado a um ‘forcing’ para conseguir recuperar até à quinta posição, enquanto Ricciardo era obrigado a abandonar pouco depois. Só que para o germânico havia Max Verstappen e Valtteri Bottas à sua frente, e isso acabou por ser uma barreira insuperável para o piloto de Heppenheim.

Com menos pressão, devido ao atraso do seu rival, Lewis Hamilton só atacou Kimi Raikkonen na primeira parte da corrida, já que depois das paragens nas boxes deixou o finlandês da Ferrari em paz na frente da corrida, vindo a impor-se com grande autoridades.

Mas a emoção maior aconteceu na luta pelas posições imediatas e nas últimas voltas da corrida. Primeiro com Max Verstappen a alcançar Lewis Hamilton e a ultrapassá-lo, e depois quando Valtteri Bottas, sob pressão de Sebastian Vettel, cometeu um erro e perdeu o quarto posto para o alemão da Ferrari.

Num ápice estava criado um cenário que dez voltas antes parecia impossível. Hamilton terminava a corrida no último lugar do pódio, mas com Vettel logo atrás. O suficiente para levar a decisão do título, pelo menos, para o Grande Prémio do México.

Depois de terem sido os pilotos que mais beneficiaram dos incidentes no meio de pelotão após a largada – que em incidentes separados envolveu Lance Stroll e Fernando Alonso, e Romain Grosjean e Charles Leclerc –, Nico Hulkenberg e Carlos Sainz Jr seguiram ‘caminhos’ diferentes para chegarem ao objetivo a que se propunha a Renault nesta prova; ser a melhor dos outros. Isso foi conseguido com distinção, com o alemão e o espanhol a terminarem logo atrás dos carros das três equipas de topo.

Apesar de um começo de prova complicado Kevin Magnussen e Sergio Perez souberam capitalizar azares alheios e estratégias menos conseguidas para emergirem nas últimas posições pontuáveis.

Classificação

1º Kimi Raikkonen (Ferrari)

2º Max Verstappen (Red Bull) + 1,281s

3º Lewis Hamilton (Mercedes) +2,342s

4º Sebastian Vettel (Ferrari) + 18,222s

5º Valtteri Bottas (Mercedes) + 24,744s

6º Nico Hulkenberg (Renault) + 1m27,210s

7º Carlos Sainz Jr (Renault) +1m34,994s

8º Esteban Ocon (Force India) +1m39,288s

9º Kevin Magnussen (Haas) +1m40,657s

10º Sergio Perez (Force India) + 1m41,080s

 

Mais partilhadas da semana

Subir