Nas Notícias

Passos, o professor catedrático, divide os alunos

A contratação de Passos Coelho como professor catedrático tornou-se fraturante entre os alunos do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP).

Ontem, chegou às redes a notícia de que havia um abaixo-assinado a contestar o novo professor convidado catedrádico, questionando as competências de Passos Coelho para dar aulas a alunos que até têm grau académico superior.

Hoje, a Associação de Estudantes (AEISCSP) fez saber, de forma formal, que nada tem a ver com esse documento.

Também hoje, o Núcleo de Estudantes Social Democratas (NESD) publicou um manifesto de apoio à contratação do antigo primeiro-ministro como professor catedrático.

Mas vamos por partes.

Em comunicado, a AEISCSP esclareceu que não se revê no “pretenso” abaixo-assinado, “alegadamente em protesto sobre a recente contratação”do ex-presidente do PSD.

O órgão estudantil frisou que o documento não reflete “o entendimento da AEISCSP sobre o processo em causa”, rejeitando qualquer aproveitamento da situação “para fins político-partidários”.

Ainda no entender da AEISCSP, o abaixo-assinado “não vincula os alunos do ISCSP” na generalidade, apelando à defesa da “legitimidade dos órgãos e superiores interesses do ISCSP e da Universidade de Lisboa”.

Mas o NESD entende que o caso se tornou num “assunto político-partidário” por causa da “mediatização”.

Também em comunicado, os alunos sociais-democratas salientam o “mérito e mais-valia” do novo professor convidado catedrático, garantindo que Passos Coelho trará “competências chaves e conhecimentos” que beneficiarão os alunos.

O abaixo-assinado questiona a “capacidade” do ex-governante “para leccionar aulas a discentes com um grau académico superior ao seu” e deixa críticas ao “salário obsceno” que Passos Coelho vai auferir.

Recorde-se que o ISCSP, que está integrado na Universidade de Lisboa, é presidido por Manuel Meirinho Martins, ex-deputado do PSD.

100Shares

Em destaque

Subir