Nas Notícias

Portuguesa que fechou filha na mala do carro é “boa mãe”, dizem familiares

Uma portuguesa tem vindo a ser julgada num tribunal em França por ter escondido a filha bebé durante cerca de dois anos na bagageira de um carro. Os familiares da mulher, que tem outros três filhos, consideram que esta é uma “boa mãe” e mostram-se surpreendidos com o caso.

Os familiares de Rosa Maria da Cruz têm vindo a prestar declarações em tribunal e, de acordo com o jornal Paris Match, a arguida é descrita como uma mulher “cheia de amor”.

As testemunhas têm usado também expressões como “mãe amorosa”, “muito simpática, “muito próxima das suas crianças” para descrever a arguida, que é mãe de outras três crianças, além de Serena.

Tal situação terá levantado dúvidas no juiz que analisa o caso, onde a gravidez terá sido mantida em segredo.

“Há uma solidariedade enorme entre a família, mas o tratamento à criança foi esquecido”, são citadas palavras do magistrado.

Durante dois anos, a pequena Serena foi mantida na mala de um veículo pela mãe, que foi descoberta quando levou o carro a uma oficina.

A menina acabou por ser hospitalizada e desenvolveu autismo, tendo sequelas que representam uma incapacidade de 80 por cento no seu desenvolvimento.

Serena, agora com 6 anos, foi entregue a uma família de acolhimento.

Natural da Póvoa de Lanhoso, Rosa Maria da Cruz reside há vários anos na localidade francesa de La Combe.

Além de Serena, Rosa é mãe de outras três crianças com 9, 14 e 15 anos.

Agora, a portuguesa arrisca ser condenada a uma pena de prisão de 20 anos, num caso que remonta a 2013.

Mais partilhadas da semana

Subir