Mundo

Português condenado por terrorismo aliciava crianças para o Estado Islâmico

Fábio Almeida, o cidadão português condenado em Espanha a quatro anos de prisão pelo envolvimento numa rede terrorista, tentou aliciar crianças e adolescentes para o Estado Islâmico (Daesh, na sigla internacional).

De acordo com a acusação, o jihadista açoriano abordava as vítimas através do WhatsApp e chegou mesmo a tentar recrutar entre a família da mulher.

Fábio Almeida fez ainda registos da filha, de 4 anos, vestida com o véu islâmico negro junto a uma bandeira na Al Qaeda, quando ainda viviam em Paris (França).

O cidadão português, que assumiu o nome Abdurraman Al Portugali, integrava uma célula terrorista que tentava recrutar crianças e adolescentes do sexo feminino, com idades entre os 12 e os 16 anos.

Uma das crianças ‘convertidas’ foi um irmão da mulher, de 7 anos.

Depois de obrigado a ver um piloto a ser queimado vivo por militantes do Daesh, o menino ganhou fascínio pelos atos terroristas.

Um outro irmão da mulher, de 13 anos, geria uma página de propaganda terrorista no Facebook.

Fábio Miguel Medeiros de Almeida, nascido em 09 de abril de 1985 em Angra do Heroísmo, foi condenado em Espanha por “delito de doutrinamento passivo terrorista”, à pena de quatro anos de prisão..

Mais partilhadas da semana

Subir