Justiça

PGR diz a Marcelo que tem interesse em continuar

Joana Marques Vidal mudou de ideias e, depois de ter dito a Marcelo que não pretendia ser reconduzida no cargo, terá informado o Presidente de que afinal está disponível para novo mandato.

A notícia é avançada pelo Observador, que refere que a nova intenção da magistrada foi comunicada numa reunião ocorrida “nas últimas semanas”.

Num primeiro encontro com Marcelo, a procuradora-geral da República (PGR) terá informado de que, no seu entendimento, o cargo não devia ser renovável.

No entanto, as pressões desde então exercidas, incluindo pelo próprio Presidente, terão levado Joana Marques Vidal a mudar de ideias.

Querendo, a PGR, cujo mandato termina a 12 de outubro, tem a continuidade praticamente garantida.

Embora caiba ao Governo a indicação do candidato, a nomeação do PGR compete ao Presidente da República… e Marcelo é ‘fã’ do trabalho de Joana Marques Vidal.

Da parte do executivo, António Costa não terá qualquer vantagem em abrir uma frente de guerra com Belém, pelo que tenderá a indicar a magistrada.

“A Constituição prevê um sistema que implica necessariamente a concertação entre dois órgãos de soberania: ao Governo cabe propor, ao senhor Presidente da República cabe nomear”, lembrou o primeiro-ministro, ainda na semana passada.

Mais partilhadas da semana

Subir