Mundo

Nova Zelândia estuda semana de trabalho de quatro dias

A primeira-ministro da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, defendeu uma semana de quatro dias de trabalho para ajudar o país a recuperar do confinamento.

Controlada a pandemia com sucesso – o país, com cerca de cinco milhões de habitantes, registou pouco mais de 20 mortes –, a Nova Zelândia tenta relançar a economia após ter vivido um dos mais apertados regimes de confinamento a nível mundial.

Um dos argumentos invocados pela primeira-ministro para sustentar a ideia da semana de trabalho de quatro dias foi o registo positivo do teletrabalho, que fortalece a ideia de ser possível trabalhar menos horas, a começar pela poupança no tempo de deslocações entre casa e trabalho.

Jacinda Ardern argumentou também que, com mais um dia de folga, vai aumentar o turismo interno, fazendo subir o consumo (e os impostos sobre o mesmo) e impulsionando a economia.

A ideia lançada pela primeira-ministro vai agora ser debatida pelos parceiros sociais.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir