Nas Notícias

Não use estes truques se quer escapar dos radares móveis

Explica o dicionário que ilusão é tudo aquilo que se nos afigura ser o que não é. E na verdade não faltam truques para tentar escapar aos radares móveis. Mas, desde já, lhe podemos garantir que apenas existe um truque 100 por cento eficaz para não ser apanhado no controlo de velocidade além do permitido por lei – só andando dentro dos limites legais.

Tudo o resto que possa consultar, adaptar no veículo, nas aplicações de telemóveis ou equacionar fazer não passa de puro truque que não o deixará a salvo de uma coima ‘pesada’, que será tanto mais quanto mais ‘pesado’ for o seu pé no acelerador.

Os radares móveis costumam estar disfarçados e acabam por apanhar os condutores mais distraídos que ultrapassam os limites legais a que devem circular.

Embora a colocação de muitos radares móveis seja previamente comunicada pelas autoridades policiais, a verdade é que outros tantos radares móveis são montados de forma mais sigilosa e acabam por ser mais traiçoeiros.

Aliás, muitos condutores queixam-se de que mais do que visar uma condução mais serena e a prevenção, acabam por gerar aquilo que vulgarmente de chama de ‘caça às multas’, com a receita do Estado a aumentar neste capítulo, enquanto que a carteira dos condutores fica mais ‘magra’.

E existem dois tipos de mecanismos de colocação dos ditos radares móveis: em viaturas descaracterizadas; em locais da berma das estradas

Veículos descaracterizados

Quando os radares móveis são colocados em veículos descaracterizados, as autoridades policiais podem até encetar uma perseguição aos automobilistas, dado que o sistema está preparado para captar a velocidade a que o condutor circula e, ao mesmo tempo, estar em andamento.

Depois existem os radares móveis que são colocados junto a bermas da estrada e acaba por estar um ou mais agentes da autoridade a executar a tarefa de apanhar os condutores que circulem em excesso de velocidade.

Agora que já percebeu como é que podem ser colocados os radares móveis é tempo de desmistificar alguns mitos urbanos e ideias que circulam de que é possível enganar os radares móveis.

Fique atento e não faça nenhum destes truques, sob pena de acabar por ser multado. Opte sempre por realizar uma condução defensiva e dentro dos limites estabelecidos pela lei.

1 – Não passe pelo radar a altíssima velocidade

Existe uma teoria de que é possível enganar o radar móvel, e até mesmo o fixo, quando se passa por ele a grande velocidade, circulando mesmo a altíssimas velocidades.

Para além de ser muito perigoso e imprudente, essa teoria cai por terra, já que o sistema de radares usado em Portugal está preparado para apanhar infratores que circulem a uma velocidade de 320 km/h.

2 – Os radares podem funcionar de noite

Ao contrário do que muito se diz, de que os radares móveis apenas apanham infratores no período diurno, a verdade é que o sistema de radares móveis está preparado para trabalhar com pouca luz. O flash instalado no sistema pode apanhar qualquer veículo mesmo com a noite escura.

3 – Não coloque números invisíveis

Ainda que no cinema sejam muitos os casos de personagens que aparecem em grandes fugas à polícia e colocam os números de matrícula invisíveis, na vida real essa ‘brincadeira’ pode sair cara aos automobilistas.

As soluções de spray do cabelo ou fitas retrorrefletoras não resultam. Muito menos circular com uma matrícula falsa ou tapada completamente. Arrisca-se a ser apanhado de forma mais rápida pelas autoridades.

4 – Passar em paralelo com outro veículo pelo radar

Existem automobilistas que acreditam que podem não ser apanhados pelos radares móveis se passarem em paralelo com outro veículo. Aqui também é outra teoria que a tecnologia desmente. O sistema está preparado para apanhar infratores em simultâneo, medindo as velocidades a que circulam ao instante.

5 – Um CD não inibe o radar

Se nos anos 90 era moda andar nos carros com um CD visível no retrovisor, a verdade é que isso passou rapidamente de moda e nem agora serve para quem quer escapar dos radares móveis, pois o CD não inibe o radar móvel. Os CD’s não conseguem ofuscar a foto que o sistema de radares consegue fazer.

6 – Detetores de radares

Muitos automobilistas acabam por ter este sistema instalado em telemóveis ou dispositivos eletrónicos por forma a detetarem o sinal de radares enquanto conduzem. Ainda que seja um dos truques que ainda pode ter algum tipo de taxa de sucesso, o risco não vale para o benefício que poderá ter.

É que as autoridades já utilizam detetores de detetores de radares. Ou seja, se tem um aparelho ou aplicativo que capta o sinal de um radar, tome cuidado porque a polícia também pode apanhar o seu sinal. E aí, a coima vai ‘doer’.

Os condutores podem ser obrigados ao pagamento entre 500 a 2500 euros e com a perda dos objetos ou aplicativos, além de existir a possibilidade de perderem até seis (6) pontos na carta de condução.

Em destaque

Subir