Nas Notícias

Marcelo manda ‘alfinetada’ a Cavaco a propósito de Saramago

Marcelo Rebelo de Sousa aproveitou para deixar uma espécie de lamento em forma de recado a Cavaco Silva por causa de José Saramago que, descontente com o país, se refugiou em Espanha.

Para Marcelo, tratou-se de uma “falta de senso e falta de gosto” a recusa do Governo então liderado por Cavaco Silva para apoiar a obra de José Saramago ‘O Evangelho segundo Jesus Cristo’ ao Prémio Literário Europeu.

Na altura, em 1992, recorde-se, o Governo de Cavaco Silva terá ‘vetado’ o apoio ao escritor português.

Agora, Marcelo deixa considerados ao que foi feito, então, pelo Executivo liderado por Cavaco Silva, que veria Saramago ser premiado com o Nobel da literatura em 1998.

“Cruzámo-nos naquele dia de outubro de 1998, sendo eu líder de um partido [o PSD] cujo Governo tinha sido motivo invocado para que José Saramago zarpasse de terras de Portugal para ilhas espanholas”, explicou o atual Presidente da República.

Em declarações prestadas em Coimbra, por causa dos 20 anos da atribuição do Nobel a Saramago, Marcelo Rebelo de Sousa explica que conduziu o processo de ‘paz’ com o escritor.

“Nesse dia (…) atravessei uma praça madrilena para ir dar um abraço a José Saramago, pondo assim fim àquilo que era uma falta de senso e falta de gosto ao mesmo tempo, em termos de vivência na sociedade portuguesa.”

O atual chefe de Estado explicou ainda que se cruzou várias vezes com Saramago ao longo da vida.

“Também nos descruzámos várias vezes, a vida é feita de cruzamentos e descruzamentos”, disse Marcelo que, nas últimas semanas, tem, por assim dizer, deixado alguns ‘reparos’ a Cavaco Silva que também não tem deixado o atual chefe de Estado sem resposta.

 

Mais partilhadas da semana

Subir