Fórmula 1

Lando Norris admite a incrível pressão e nível na McLaren

Lando Norris admitiu que o nível que encontrou na McLaren na sua primeira época de Fórmula 1 é muito alta, e isso acrescentou pressão a uma época que já era de muita exigência por ser a sua estreia na disciplina máxima do automobilismo.

No primeiro grande prémio que disputou este ano o jovem britânico foi oitavo. Logo a seguir, no Bahrain, foi sexto, considerando então estar mais “relaxado”.

“É insano. Especialmente na McLaren, com o nível que encontrei e o número de pessoas envolvidas. É o topo comparado com a maioria das equipas”, refere Norris falando daquilo que foi encontrar na equipa de Woking quando deu os seus primeiros passos na F1.

O jovem inglês explica que tudo é muito diferente do que tinha conhecido até então na sua carreira e ainda hoje sente o peso do nível da uma escuderia como a McLaren: “Todos os dias que entro nas instalações é sempre incrível.

Converso com muitas pessoas, projetistas e pessoas de diferentes áreas, na oficina de materiais de carbono ou em qualquer outro departamento. É sempre fantástico e descubro sempre coisas novas”.

“Isto adiciona sempre um pouco mais de pressão, sabendo que essas pessoas confiam em mim e em Carlos (Sainz Jr, o companheiro de equipa) para fazer um bom trabalho. Coloca-nos mais pressão, mas é uma pressão crescente e de uma forma positiva”, salienta o titular do McLaren # 4.

Relativamente à pressão, Norris recorda que ela surgiu desde a primeira prova de Fórmula 1 que realizou: “Fiz a primeira corrida e fiquei a pensar; tenho muitas pessoas a esperar coisas da minha parte. É o mesmo agora, embora esteja mais relaxado nesse aspeto e mais confiante na direção que sigo, sentindo que posso fazer um trabalho melhor e vou desapontá-los”.

O piloto inglês considera que a atitude para com o desenvolvimento do monolugar da McLaren também é importante. “Pedimos sempre atualizações a cada três, quatro ou cinco corridas. Isto acontece porque queremos fazer sempre melhor para equipa, mas também em benefício próprio. Se não pensar da forma certa ou não explicar o que quero da forma certa isso terá um efeito negativo quando tivermos a atualização do carro”.

“Na Fórmula 2 não tínhamos atualizações, fazíamos apenas ajustes aqui e ali. Portanto não se compara ao que é a F1. Sei que aqui muito do que transmito esta época terá um grande efeito e no próximo ano também”, explica.

Lando Norris entrou para a pausa de verão no 10º lugar do campeonato, após uma dúzia de grandes prémios, tendo até agora como melhor resultado dois sextos lugares, confirmando aquilo que já mostrara nas categorias de promoção, desde a Fórmula 4 britânica até à Fórmula 2, passando pela F. Renault 2.0 Eurocup e ela F3 europeia.

Mais partilhadas da semana

Subir