Ásia

Investimento chinês atravês dos “Vistos Gold” cai 41% para 60 milhões de euros no 1.º trimestre

O investimento oriundo da China captado através dos ‘Vistos Gold’ caiu 41 por cento no primeiro trimestre, face a igual período de 2018, para 59,6 milhões de euros, segundo dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

No primeiro trimestre deste ano, o investimento da China proveniente da Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI), como são designados os ‘Vistos Gold’, totalizou 59.619.100,65 euros, uma redução de 41 por cento face aos 101.307.407,16 euros registados em igual período de 2018.

Até março foram atribuídos 107 vistos ‘dourados’ a cidadãos chineses, contra 183 ARI atribuídas em igual período do ano anterior.

Já o investimento brasileiro aumentou 3,3 por cento no trimestre, para 43.253.600,72 euros, tendo sido concedidos 58 vistos até final de março.

No primeiro trimestre de 2018 tinham sido atribuídos 49 ‘Vistos Gold’ a cidadãos brasileiros, num total de 41.895.398,75 euros captado através deste mecanismo.

Relativamente ao investimento turco, este registou uma quebra de 58 por cento nos primeiros três meses do ano, face ao período homólogo de 2018, para 18.408.022,17 euros.

No trimestre foram atribuídos 36 ARI a cidadãos turcos, contra 81 concedidos no período homólogo do ano passado, quando o investimento captado ascendeu a 44.211.847,09 euros.

Na lista das cinco nacionalidades mais representativas no âmbito da ARI, a novidade neste primeiro trimestre é o investimento oriundo dos Estados Unidos e Vietname, que substituem a África do Sul e Rússia que integravam a mesma há um ano.

No primeiro trimestre foram atribuídos 14 ‘Vistos Gold’ a cidadãos dos Estados Unidos, num investimento total captado de 9.423.000,00 euros, e o Vietname viu ser concedido 12 ARI, no montante de 4.855.000,00 euros.

Nos primeiros três meses de 2018 foram atribuídos 24 ‘Vistos Gold’ a cidadãos sul-africanos (investimento de 13,5 milhões de euros), e 16 a nacionais russos (10,8 milhões de euros).

O investimento captado através dos ‘Vistos Gold’ recuou 33 por cento no primeiro trimestre, face a igual período de 2018, para 196,8 milhões de euros.

Mais partilhadas da semana

Subir