Motociclismo

Hero Motorsports retira-se do ‘Dakar’ depois da morte de Paulo Gonçalves

A equipa que Paulo Gonçalves tinha decidido representar este ano – a Hero Motorsports – decidiu retirar-se do 42º Rali Dakar depois da morte do piloto português.

O construtor indiano tomou a decisão por respeito a ‘Speedy’ e à sua família, que deixou todos em choque na equipa, levando a que depois do dia de descanso em Riade abandonasse a prova.

“As palavras não podem descrever o choque e a perda deste momento”, afirmou o responsável máximo da Hero Motorsports, que referiu também: “Não se trata apenas de uma equipa, é uma família para nós, e estamos devastados pelo desaparecimento de um dos nossos membros, Paulo Gonçalves”.

“Ele juntou-se à equipa em abril do ano passado, e com o tempo tornou-se numa parte integral da Hero Motorsports. Sentimos imensamente a sua falta e será sempre lembrado por nós. Paulo foi um verdadeiro campeão, um senhor, um amigo fiável para todos no mundo das corridas e um modelo como desportista e personalidade. Estendemos as nossas maiores condolências à sua família e amigos”, acrescentou Wolfgang Fischer.

Um ‘Dakar’ para a Hero esquecer ou recordar. Na prova Joaquim Rodrigues Jr, cunhado de Paulo Gonçalves, tinha ficado parado na pista e regressado ao abrigo do estatuto Dakar Experience, enquanto o campeão nacional de todo-o-terreno, Sebastien Buhler, foi obrigado a abandonar na sexta etapa.

2Shares

Em destaque

Subir